terça-feira, 12 de dezembro de 2017

LESÕES NEUROLÓGICAS E O PILATES

As lesões neurológicas são um fato muito comum onde, em maior ou menor grau, podem apresentar alterações motoras e cognitivas como déficit de atenção, fraqueza muscular, alterações de equilíbrio (estático e dinâmico) e desequilíbrios musculares, acarretando então em alterações posturais e de movimento.
Algumas dessas lesões neurológicas podem ser prevenidas, mas outras não são nem possíveis de ser identificadas, o que as torna mais frequentes.
Cada uma das lesões neurológicas tem seus padrões motores diferentes e também sintomas bem distintos.
Muitas pessoas que passam por esses problemas neurológicos podem sofrer no seu dia-a-dia, podendo afetar os hábitos mais simples como pentear o cabelo, escovar os dentes, ou até os mais essenciais como andar, subir ou descer escadas e sentar.
Porém, nos últimos anos, o Método Pilates tem disso muito utilizado para a melhora dessas lesões neurológicas, pois seus exercícios utilizam uma técnica que pode ajudar na reabilitação do corpo e da mente.
Sendo assim, saiba agora o que é essa lesão neurológica, como os princípios do Método Pilates podem ajudar neste caso e quais benefícios ele proporciona. Confira a seguir!

O que são Lesões Neurológicas?

lesoes-neurologicas-1
As lesões neurológicas estão relacionadas com qualquer tipo de lesão que foi adquirida através dos neurônios.
O neurônio, é a unidade estrutural e funcional do sistema nervoso, ele é responsável por receber, processar e enviar informações a todo sistema.
A principal função do neurônio é a condução de impulsos nervosos, sendo assim, entende-se que são células extremamente excitáveis, em função de uma linguagem elétrica, acarretando modificações do potencial do corpo.
Os neurônios também são compostos por nervos que são feixes de fibras nervosas que unem o sistema nervoso central aos órgãos da região da cabeça.
Quando estimuladas em seus receptores, as fibras sensitivas levam informação dos órgãos até uma área específica do sistema nervoso.
Sendo assim, quando alguns desses neurônios ou fibras deixam de levar as informações corretamente para o cérebro, os problemas neurológicos surgem trazendo diversas patologias para o indivíduo que são então as lesões neurológicas.
Algumas lesões que podem ser causadas por conta dos problemas neurológicos são:
  • Alzheimer
  • Cefaleias
  • Problemas de visão
  • Acidente vascular cerebral (AVC)
  • Epilepsia
  • Doença de Parkinson 
  • Miopatia
  • Déficit de atenção
  • Neuropatia
  • Transtornos de sono
  • Autismo
  • Esclerose
Por isso é importante que o ser humano procure ajuda médica quando diagnosticado com esse problema, para que ele possa ser tratado de maneira correta

Como aplicar os Princípios Básicos do Pilates em Pacientes Neurológicos

lesoes-neurologicas-2
Os princípios do Pilates criados por Joseph Pilates são grandes aliados para o tratamento das lesões neurológicas.
Quando aplicamos esses princípios durante as aulas de Pilates, eles podem ser realizados da seguinte forma:
1. Primeiramente, um trabalho feito com uma ótima execução para esses pacientes parte de algo básico: a Comunicação paciente/instrutor.
O paciente precisa compreender as instruções estabelecidas pelo instrutor e esse por sua vez, deve ajudar o praticante de modo que ele entenda da forma mais clara possível e didática, formalizando uma comunicação eficiente.
Assim, realizar os movimentos do método será algo natural e os benefícios serão atingidos conforme os objetivos propostos.
2. A pré-avaliação deve ser realizada no que o paciente consegue ou não fazer para que assim seja possível identificar sua capacidade para ativar determinados músculos, mostrando que, mesmo depois de muito tempo de lesão, vale acreditar na plasticidade neural (processo que permite os neurônios se regenerarem tanto anatomicamente quanto funcionalmente) e na estimulação de todas as musculaturas, afim de melhorar toda a capacidade neuromusculoesquelética deste indivíduo.
3. A avaliação e análise da Postura é essencial, isso pois a postura é essencial na vida do ser humano.
É essa postura que irá definir o equilíbrio dinâmico do sistema neuromusculoesquelético desta pessoa.
Apesar do Pilates não ter um padrão adotado, não significa que a mesma não deve ser feita, a maioria desse perfil de paciente, apresenta alterações posturais.
Sendo assim, ao analisar a postura, o indivíduo se beneficia reduzindo as possíveis lesões na região.
5. Saber o que é o princípio da centralização é muito importante para que os movimentos de membros superiores e inferiores aconteçam com qualidade e eficiência, minimizando assim os riscos de possíveis lesões.

Quais são os Benefícios do Pilates para esse Caso?

lesoes-neurologicas-3
O Pilates é um Método que pode proporcionar diversos benefícios para o ser humano tanto no quesito corpo, quanto mente, sendo assim, ele é um ótimo beneficiador para pessoas com lesões neurológicas.
Quando uma pessoa pratica Pilates com o intuito de reabilitar-se neurologicamente, ela irá estimular uma melhora da sua coordenação postural, da propriocepção, do fortalecimento com flexibilidade, tônus muscular, coordenação e equilíbrio.
Além disso, o Pilates também auxilia para o relaxamento evitando então o estresse, ansiedade e outros possíveis problemas emocionais.
Isso sem contar a grande e não menos importante autoestima que beneficia esse paciente neurológico, ajudando em sua reabilitação.
Os princípios básicos do Pilates ajudam na garantia do alongamento axial constante e a ativação de musculaturas muitas vezes pouco usadas e ‘’mal conhecidas’’, o que faz do Método algo extremamente importante para o progresso desses pacientes.

Concluindo

lesoes-neurologicas-4
O método Pilates consiste em uma resposta positiva para os tratamentos de lesões neurológicas, o que irá ajudar no fortalecimento global do indivíduo, fazendo com que ele recupere ou mantenha o controle funcional em suas atividades diárias e laborais.
A aplicação dos princípios do Método pode ainda prevenir ou retardar o surgimento de alteração no sistema neuromusculoesquelético, evitando possíveis outras disfunções.
Os exercícios devem ser prescritos de acordo com os objetivos a serem alcançados, da mesma forma que a frequência com que devem ser realizados, respeitando os níveis de aptidão e habilidades físicas de cada um.
A interação entre corpo e mente que acontece na prática do método, favorece ao paciente perceber melhor o corpo, tornando o mesmo capaz de melhorar o seu desempenho nas atividades cotidianas, buscando conquistar autonomia e independência.


Fonte: Revista Pilates/Paula Gama (Instrutora de Pilates e Pós Graduada em Uroginecologia e Obstetrícia)

domingo, 29 de outubro de 2017

AUMENTO DA IMUNIDADE ATRAVÉS DA ATIVIDADE FÍSICA

Resultado de imagem para atividade fisica,  imunidade

A importância da atividade física regular para melhora da resposta imunológica é um tema de bastante interesse, ainda mais no momento atual com epidemias de doenças causadas por vírus e bactérias cada vez mais agressivos. Apesar do exercício físico não ser vacina para nenhuma doença, com certeza, o fortalecimento do sistema imunológico sempre vai proporcionar uma resposta mais rápida e eficaz contra qualquer quadro de infecção. 


A literatura científica é repleta de artigos que relatam estudos sobre os benefícios dos exercícios para reforço do sistema imunológico, havendo uma opinião praticamente consensual de que a atividade física moderada é a forma mais adequada para este propósito. O mecanismo da melhora da defesa está associado à um efeito da atividade física regular em promover um aumento das linfócitos, células denominadas “natural killers”. A célula natural killer, linfócito atuante no sistema inato, tem como função destruir células tumorais ou infectadas por vírus. 


Resultado de imagem para atividade fisica,  imunidade



Outro fator que colabora para a proteção do organismo é o fato de a atividade física promover a diminuição do estresse. Como nosso corpo funciona de maneira harmoniosa, com inter-relação entre os sistemas nervoso, endócrino e imunológico, a redução do estresse faz com que o organismo se fortaleça e fique menos suscetível a diversas doenças. Quanto à melhor forma de atividade para fortalecer o sistema imunológico, parece não haver grande diferença entre as diversas modalidades, prevalecendo sempre o conceito do exercício moderado.

Existem também evidências de que os exercícios com pesos, desde que respeitando o conceito de adequação de carga, também podem melhorar a imunidade. O que se deve evitar são os exercícios de intensidade acima de um limite crítico, que reconhecidamente vão ter o efeito inverso, diminuindo a imunidade e aumentando a incidência de doenças por enfraquecimento imunológico.
Fonte: 

LADDER BARREL

O Ladder Barrel, traduzido ao pé da letra como “Barril Escada”, é uma das engenhosas invenções de Joseph Pilates.
Joseph Pilates  -  cisne no Barrel:


Esse aparelho de Pilates possui uma superfície curva na forma de barril e uma estrutura que se assemelha a degraus de uma escada. O Barril está conectado a uma escada ajustável de 4 a 6 degraus.
Resultado de imagem para LADDER BARREL E SUA FUNCIONALIDADE

É um grande equipamento que permite a inclinação do corpo para frente e para trás, isolando toda a musculatura profunda do abdominal, mais conhecida como powerhouse.
É excelente para movimentos de extensão e flexão da coluna e para o fortalecimento da musculatura do abdômen, pernas, glúteos e coxas.

HISTÓRIA DO LADDER BARREL NO PILATES

Preocupado com um trabalho completo de mobilidade da coluna e força da powerhouse, Joseph Pilates criou vários tipos de barril. O Ladder Barrel alia exercícios que podem ser realizados em pé, deitado ou sentado e é o equipamento mais completo do grupo dos barris. Ele oferece ainda a possibilidade de realizar vários tipos de exercícios de flexibilidade e força de todo o corpo.
Esse equipamento está enquadrado no grupo dos barris. Desse grupo estão incluídos três tipos.
São eles:
  1. O Ladder Barrel: este equipamento utilizado em treino individualizado, oferece exercícios desafiadores para os abdominais, bem como, exercícios de flexibilidade e força responsáveis por trabalhar todo o corpo.
  2. O Spine Corrector ou Step Barrel: o Step Barrel é utilizado em treino individualizado para a realização de alongamentos, alinhamento da coluna e fortalecimento da musculatura responsável por uma boa postura. Alivia a rigidez dos ombros e quadris, alivia dores nas costas e melhora a expansão torácica.
  3. O Pilates baby arc ou meia lua: a meia lua é uma peça versátil e engenhosa que permite a realização de vários exercícios típicos no solo como por exemplo, o roll up e o roll over. Trabalha também o alongamento da parte superior do corpo e a força do centro (powerhouse).
Cada um desses equipamentos possui uma superfície barril arredondado que ajuda a isolar os músculos posturais profundos de uma maneira específica e desafia o corpo a manter-se simultaneamente forte e flexível durante todos os movimentos.

MATERIAL E CONSTRUÇÃO DO LADDER BARREL

O Ladder Barrel possui uma escada em madeira conectada a uma espécie de barril por uma base deslizante ajustável ao comprimento da perna do aluno. A escada possui 4 a 5 níveis de altura e tem como função o apoio para os exercícios no barril, e também, como pega para mãos e pés em alguns exercícios.
O barril estofado em couro ou em material de borracha tem a função de dar apoio as costas, abdominal e ombros, permitindo um agradável alongamento e ativação da musculatura profunda, mais conhecida como powerhouse.
Medidas aproximadas:
  • Altura: 90 a 98 cm
  • Comprimento: 125 cm a 191 cm
  • Largura: 58 cm a 98cm
  • Peso: 37,5 kg a 40 kg Suporta: até 140 kg
  • Peso suportado: até 140Kg

BENEFÍCIOS DE EXERCÍCIOS COM O LADDER BARREL

O Lader Barrel possui como principal função isolar a musculatura profunda que ajuda no controle postural e desafia o corpo trabalhando em todos os planos de movimento possíveis.
É conhecido também por ser eficaz no alongamento dos flexores do quadril e isquiotibiais. Melhora a flexibilidade dessa musculatura em especial, melhora a qualidade da marcha e da corrida, melhora a postura e ajuda a evitar dores nas costas e no quadril, assim como, alguns tipos de lesões.
BENEFÍCIOS
  • Ajuda na manutenção da curvatura natural da coluna
  • Activa a musculatura da lombar, glúteos, ombros, abdominais e região pélvica
  • Ótimo para alongar ombros, peito e quadril
  • Alivia as tensões da musculatura da coluna (cervical, torácica e lombar) e pescoço (esternocleidomastodeo, musculatura hióideo, elevador da escápula, escalenos e trapézio)
  • Fortalece a musculatura abdominal (retos, oblíquos e transverso), costas e ombros
  • Alivia a tensão dos músculos
  • Melhora a postura e a consciência corporal
  • Melhora a força e estabilidade do centro de força (power house)
  • Promove a reabilitação em caso de desvios posturais e bloqueios articulares
  • Melhora a flexibilidade
  • Melhora o controle muscular
  • Melhora a capacidade respiratória
  • Alívio das dores musculares e do estresse, reduzindo as tensões musculares
  • Relaxamento muscular
  • Promove o alongamento de peitoral, quadril e ombros
  • Melhora o equilíbrio muscular e a consciência corporal
  • Reduz o estresse e aumenta a energia através dos alongamentos
  • Ajuda a aumentar a amplitude de movimento articular
  • Melhora a circulação
  • Aumenta a coordenação neuromuscular
  • Útil na preparação esportiva, na reabilitação de lesões e na aptidão funcional para atividades da vida diária
  • Melhora a aparência do corpo

Este equipamento do grupo dos barris é dos únicos em que não se trabalha com molas, já que o foco maior é o alongamento e a amplitude articular.
Boa parte dos exercícios do repertório de Pilates que envolvam o treino da mobilidade e alongamento podem ser adaptados e intensificados para este tipo de equipamento.
Alguns tornam-se mais intensos, e outros, mais simples de serem executados.
Por exemplo, com os pés apoiados nos degraus do ladder barrel é possível apoiar as costas por cima do barril conforme o contorno do equipamento, e ativar então a musculatura profunda do abdomen, assim como, sentir o alongamento de todo o peitoral melhorando a expansão do tórax e aliviando a tensão dos músculos.
Com o abdominal sobre o barril, é possível aliviar a tensão das costas e alongar toda a musculatura que envolve a coluna.
O foco mental e a concentração durante os exercícios garante o sucesso e a segurança na realização dos mesmos.
Fonte: Canal Pilates




domingo, 17 de setembro de 2017

PILATES AUXILIANDO A POSTURA INADEQUADA DOS DENTISTAS








A odontologia tem sido considerada uma profissão “estressante”, sendo freqüentemente associada a agravos à saúde, tanto de ordem física como psíquica. Estudos sistemáticos sobre os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) colocam os profissionais de odontologia entre os primeiros lugares em afastamentos do trabalho por incapacidade temporária ou permanente e respondendo por cerca de 30% das causas de abandono prematuro da profissão, devido, principalmente, pela postura incorreta, movimentos repetitivos e o uso do mesmo grupo muscular para manter a posição de trabalho.

As regiões mais acometidas pelo DORT em cirurgiões dentistas são: pescoço, punhos, mãos, ombro e região lombar.



O MÉTODO PILATES tem sido uma alternativa de condicionamento muscular procurado por alguns profissionais da área para a manutenção da boa postura. 

O método ajuda a corrigir a postura; melhorar a flexibilidade e força de forma global; melhorar a coordenação motora e consciência corporal. Além disso, o Pilates ativa a musculatura estabilizadora da coluna (transverso do abdômen e multífidos) de grande importância para o dentista por assumir posições estáticas por um longo período. A musculatura da cintura escapular e membros superiores também deve ser bastante trabalhada por estes profissionais.


A respiração, a concentração e a fluidez de movimentos são princípios do método para existir uma conexão entre mente e corpo, dissipando tensões e stress, melhorando a disposição do dia-a-dia.


O MÉTODO PILATES tem sido uma alternativa de condicionamento muscular procurado por muitos profissionais da área para a manutenção da boa postura, prevenir lesões, manter seu corpo saudável e mais resistente. 

A incorporação do método nos exercícios de solo e aparelhos permitirá que o praticante tenha um padrão postural melhor; aumente a flexibilidade e força de forma global; potencialize a coordenação motora e consciência corporal. O músculo alongado e resistente produz força com menor fadiga e transfere menor carga às junções miotendíneas e osteotendíneas (estruturas anatômicas dos músculos), prevenindo lesões.


Para esse público, é preciso enfatizar grupos musculares estabilizadores da coluna, cintura escapular e membros superiores, já que assumem posições estáticas por um longo período. 
Fonte: RevistaPilates










AZEITE DE OLIVA CONTRA A OSTEOPOROSE



Guarde bem este nome: oleuropeína.
A substância, encontrada no azeite de oliva extravirgem, é a nova arma da nutrição para evitar e combater a osteoporose, doença que acelera a perda de massa óssea.

O cálcio que se cuide, porque seu posto solitário de melhor companheiro do esqueleto anda ameaçado.

Calma, o mineral não vai perder seu lugar de destaque como protetor dos ossos - muito longe disso. A questão é que a ciência descobre fortes concorrentes para dividir com ele essa prestigiada posição. É o caso da oleuropeína, presente no azeite de oliva.

Um estudo da Universidade de Córdoba, na Espanha, revela que esse tipo de polifenol aumenta a quantidade de osteoblastos, células que fabricam osso novinho em folha. Consumi-la , portanto, traria imensas vantagens para manter o arcabouço do corpo em pé ao longo da vida.

"O tecido ósseo é dinâmico, destruído e construído constantemente",
explica o geriatra Rodrigo Buksman, do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, em Brasília.


Os osteoblastos ajudam justamente a realizar a reconstrução. É como se fossem a massa corrida colocada na parede para tapar os furos que aparecem com o tempo. Sem essas células, os buracos ficam maiores, os ossos se enfraquecem e cresce o risco de fraturas. 


O envelhecimento e a menopausa provocam uma queda na concentração de osteoblastos no organismo. Daí a importância da reposição desses construtores, que recebem um belo reforço com a inclusão do azeite de oliva extravirgem no dia a dia, a melhor fonte de oleuropeína.

"Aos 30 anos nosso corpo atinge a quantidade máxima de massa óssea e, a partir daí, começa a perdê-la", nota o ortopedista Gerson Bauer, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Por isso é que se diz que a prevenção da osteoporose se inicia muito antes da maturidade. "Essa doença se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea, o que torna os ossos mais frágeis e propensos às fraturas", arremata a nutricionista Clarisse Zanette, mestre em ciências médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Com o azeite, no mínimo, esse processo destrutivo demora mais tempo para ocorrer. E, se alguém quiser substituir sua fonte de oleuropeína de vez em quando, saiba que existe mais uma opção. "A substância também é fornecida pela azeitona, de onde o óleo é extraído", diz Clarisse.


Não são apenas os ossos que se deliciam quando saboreamos um prato regado a azeite. O coração também se beneficia, porque suas veias e artérias ficam livres de entraves. "A gordura monoinsaturada, principal constituinte do óleo, interfere nos receptores do fígado que captam o colesterol circulante", explica o cardiologista Daniel
Magnoni, do Hospital do Coração, em São Paulo. "Assim, há uma redução nas taxas da sua versão ruim, bem como de sua quantidade total." 



Já os compostos fenólicos do azeite diminuem a oxidação do colesterol, processo crucial para a formação das placas que obstruem as artérias e causam as doenças cardiovasculares. "Esse poder se deve à sua intensa atividade antioxidante", justifica a cardiologista Paula Spirito, do Hospital Copa D'Or, no Rio de Janeiro. "Esses compostos impedem que os radicais livres - moléculas que provocam danos às células - oxidem o colesterol e contribuam com o aparecimento de placas nos vasos.



" A circunferência abdominal é outra que agradece o consumo do azeite. É que o alimento ajuda a evitar a inflamação de uma área do cérebro chamada hipotálamo. A inflamação é provocada por dietas ricas em gorduras saturadas, presentes nas carnes e nos produtos de origem animal. Como o hipotálamo é o órgão responsável pelo controle da fome e do gasto energético, não é um exagero dizer que o óleo de oliva auxilia a manter a harmonia na massa cinzenta e, assim, a afastar os quilos a mais. Além disso, ele acelera a produção de um hormônio chamado GLP 1, que age no cérebro aumentando a saciedade e reduzindo o apetite.


A oleuropeína - voltamos a falar dela - tem participação no pelotão antiinflamatório. "Esse polifenol tem propriedades antioxidantes significativas, inibe a agregação de plaquetas e reduz a formação de moléculas inflamatórias em todo o corpo", afirma a nutricionista Mércia Mattos, da Faculdade de Medicina de Marília, no interior paulista.

Tantas propriedades se refletiriam em um menor risco de uma porção de males, entre eles infartos e derrames. Por falar em proteção, vale destacar, ainda, que esse antioxidante também resguarda as mitocôndrias, estruturas dentro das células responsáveis pela obtenção de energia - dessa forma, fica mais difícil uma célula se aposentar antes da hora.

Resultado de imagem para azeite de oliva


Quando regamos o prato com azeite extravirgem, porém, não ganhamos apenas boas doses de oleuropeína. O tempero é uma ótima fonte de vitamina E. "Esse nutriente retarda o envelhecimento das células, diminuindo o risco de tumores e doenças do coração", aponta a nutricionista Soraia Abuchaim, do Conselho Regional de Nutricionistas do Rio Grande do Sul. O melhor é que, para desfrutar de tudo isso, bastam 2 colheres por dia. Mas tem que ser do tipo extravirgem, que concentra maiores teores da substância.

De preferência, use-o em saladas e ao finalizar pratos quentes - o azeite não gosta de calor e, se for lançado ao fogo, perde grande parte de suas qualidades. E só o sabor, nesse caso, não basta, certo?
Fonte: revistasaúde