sábado, 26 de julho de 2014

A RPG EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

     

PROBLEMAS POSTURAIS 
NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

  


 Este tratamento pode dar bons resultados nesta fase de crescimento e desenvolvimento, pois é nesta fase em que se observam alterações na estrutura corporal. Neste período, uma das alterações que observamos com frequência, é quando o desenvolvimento muscular não acompanha na mesma proporção o crescimento mais acelerado dos ossos, causando desequilíbrios posturais.
          É justamente neste período, que a RPG pode corrigir ou atenuar algumas alterações, são realizados exercícios posturais de uma forma global, sempre respeitando os limites do paciente, apresentando resultados satisfatórios por parte das crianças e adolescentes.

                                                               foto: Sandro Araújo
           É importante a participação dos pais durante o tratamento, incentivando principalmente a criança a realizar os exercícios em casa e manter sempre que possível á postura correta por mais tempo, devem estar atentos quando usam o computador e mochilas escolares, a maneira como a criança senta, caminha e os esportes que pratica, pois podem estar contribuindo para os
desvios da postura e o quadro de dor, notar sua maior dificuldade e relatar ao fisioterapeuta para que logo seja corrigido. A manutenção da postura irá colaborar com o equilíbrio corporal e evitar problemas no futuro.
          Ao notar algum problema postural na criança ou no adolescente é importante que os pais levem primeiramente seu filho ao ortopedista (se houver a possibilidade-Pediátrico) para realizar os exames necessários e assim que houver indicação médica, iniciar o tratamento com RPG, pois muitos desvios nesta fase são corrigidos naturalmente pelo próprio corpo.
          Durante o tratamento, o fisioterapeuta procura a melhor postura a ser trabalhada na correção dos desvios identificados e o número de sessões irá depender da evolução do tratamento.





.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

PILATES : UMA OPÇÃO NO TRATAMENTO DA LABIRINTITE




r



O método Pilates é benéfico para o tratamento da labirintite, pois o fortalecimento dos tornozelos e quadris, paralelo ao trabalho de equilíbrio e propriocepção podem ajudá-lo a manter-se equilibrado até que sua inflamação do ouvido interno recue.
O componente de conexão mente-corpo com a prática do Pilates aumenta o seu bem-estar, especialmente importante se você está lidando com depressão e estresse, bem como os efeitos físicos da doença. Os exercícios de equilíbrio que exigem que você caminhe em linha reta, em uma perna fazendo o seu sistema vestibular compensar suas deficiências.
Outros fatores importantes para o equilíbrio. O interior do ouvido não é a única fonte de informações para ajudá-lo no equilíbrio. Você também recebe informações:
• Dos olhos – você pode ver o caminho fazer o movimento e escolher em que direção ir.
• As solas de seus pés (se você estiver em pé) ou as pernas (se você estiver sentado). Você pode sentir onde você está.
• Todas as suas articulações e músculos – inclusive as articulações do pescoço, costas, pernas, pés, braços e mãos – têm órgãos dos sentidos neles que enviam sinais dos nervos e da coluna, dizendo ao cérebro que posição está dentro. Você não precisa olhar para ver se seus braços estão estendidos ou ao seu lado – eles dizem onde estão. Esta posição de senso é conhecida como propriocepção. Propriocepção é reduzida em várias condições médicas, incluindo artrite e diabetes.
Se há uma abundância de informações provenientes dos olhos, pele e articulações, você realmente não precisa confiar em informações do ouvido interno para ajudar você a equilibrar.
Se a informação proveniente de outras fontes é reduzida, perdida ou confusa – por exemplo, no escuro, em terreno macio ou irregular – o cérebro precisa confiar mais nas informações provenientes do ouvido interno.
É por isso que o seu saldo será pior no escuro, em terreno macio ou irregular, se você tiver um problema com o ouvido interno.
Então é ai que entra os benefícios do Pilates no tratamento da labirintite com:

Exercícios proprioceptivos;
Exercícios de equilíbrio;
Exercícios de coordenação motora;
Exercícios de força e flexibilidade;
Exercícios de relaxamento.

Durante a crise vá para um lugar ventilado e não se deite. Fique sentada, de olhos abertos, olhando para um ponto fixo na parede. Assim que a tontura melhorar, procure um médico. E lembre-se: labirintite não causa desmaios.
A doença é de difícil controle, ainda assim é possível viver sem tontura. Com o tratamento adequado o médico especialista tem condições de melhorar muito seus sintomas, obtendo a cura clínica da doença.
Fonte:  Pilates Daniela Costa









.

domingo, 20 de julho de 2014

FAMOSOS QUE FAZEM PILATES: PRETA GIL TAMBÉM PRATICA PILATES #n°226



Cada dia o método Pilates ganha mais popularidade 
e os famosos têm ajudado bastante nesta divulgação.



A Preta Gil caiu nas graças dos internautas, mostrando a força de vontade no quadro Medida Certa, do Fantástico.

O Pilates tem ajudado muito a fortalecer o joelho e fortalecer o “core” para o trabalho nos palcos.



Uma das legendas dela sobre o treinamento: 

“Como eu amo fazer Pilates “.


preta-gil-revista-pilates








.

FAMOSOS QUE FAZEM PILATES: GREG ODEN TAMBÉM PRATICA PILATES #nº223


Cada dia o método Pilates ganha mais popularidade 
e os famosos têm ajudado bastante nesta divulgação.

 GREG ODEN





A aula do jogador de Basquete Greg Oden,  

do time Portland Trail Brazers, um dos time da NBA.














.

sábado, 19 de julho de 2014

FRASES DE JOSEPH PILATES n°16

"Eu inventei todas as máquinas.
 Em 1925 eu as usei para exercitar pacientes reumáticos.

Veja, você vê a máquina resistir seus movimentos de modo certo, então seus músculos internos terão que trabalhar contra a resistência, dessa maneira, você se concentra no movimento. 

Você deve executá-lo sempre suave e lento e então seu corpo inteiro trabalha e está presente."  J.Pilates




Nesta foto , Eve Gentry, dançarina e coreógrafa famosa que procurou o estúdio de J. Pilates para obter ajuda com problemas no joelho e nas costas. 
Mais tarde, ela se tornou uma pupila de Joseph e professora mestre em seu próprio estúdio.









.

terça-feira, 15 de julho de 2014

PROBLEMAS DE POSTURA NA INFÂNCIA

                          PROBLEMAS NA COLUNA                  

                            má postura  / sedentarismo 

       


Crianças não precisam ser proibidas de jogar videogame ou fazer atividades sentadas, desde que não passem o dia todo em frente às telas e alternem com atividades físicas




Se você ouvir alguém por aí falar em “geração gameboy”, provavelmente vai se lembrar das crianças que passavam horas sentadas, curvadas sobre as pequenas telas de aparelhos coloridos tentando desesperadamente passar uma fase do jogo. OK, os games modernizaram, mas a cena típica continua a mesma e foi usada pelos cientistas para resumir um problema que médicos estão enfrentando cada vez mais em seu dia a dia.   




O cirurgião ortopédico holandês Piet van Loon e alguns colegas publicaram um artigo recentemente na revista de medicina Medisch Contact alertando profissionais e membros do governo sobre problemas na coluna em crianças. O texto foi baseado na experiência clínica dos médicos e em pesquisas realizadas em outros países. Eles afirmam que os jovens estão passando cada vez mais tempo sentados e, pior, com a postura errada.     





O tipo de problema e a idade das crianças, entre 5 e 17 anos, rendeu o apelido de “geração gameboy” para se referir a esse grupo. Segundo van Loon, o termo foi sugerido por um jornalista, mas resume o que eles querem dizer em relação à má postura em crianças.





Segundo van Loon, o número de crianças com problemas no pescoço e na coluna visitando consultórios de ortopedistas aumentou consideravelmente nos últimos 15 anos. Aqui no Brasil, a realidade é semelhante. 








De acordo com o ortopedista Miguel Akkari, da Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica (SBOP), muitas passam a manhã sentadas nas escolas e depois ficam em casa durante a tarde em frente à televisão ou brincando com tablets. “Vemos, assim, um aumento das doenças ortopédicas. Dores nas costas, vícios posturais e dores lombares estão entre elas. Mas, no fundo, estão todas relacionadas a um problema maior: o sedentarismo. Para reverter isso teoricamente é muito simples, basta colocar essas crianças para fazer atividade físicas”, afirma.




O problema é que, na prática, a teoria nem sempre é tão simples assim. O primeiro motivo é espaço. Em grandes centros urbanos, nem todas as famílias moram em locais próximos a áreas seguras nas quais as crianças podem correr, andar de bicicleta ou brincar de pega-pega. O segundo é tempo. Nas famílias em que pai e mãe trabalham o dia todo, como acompanhar os menores nesses passeios ou levá-los até a aula de natação ou judô? O terceiro e, na opinião de Miguel, mais difícil, é o exemplo. “Quando eu falo de criança e esporte o que a gente vê é que o exemplo tem que ser de casa. Há estatísticas mundiais que dizem que cerca de 70% das crianças sedentárias têm pais sedentários.” Ou seja, se você quer ver seu filho se mexer mais, não adianta pedir para ele descer no playground e ficar em casa assistindo a um filme.


Vale lembrar que em qualquer momento da nossa vida é possível mudar para uma rotina mais saudável. Porém, como atingimos nossa maturidade esquelética com cerca de 15 anos, para garantir um bom desenvolvimento da estrutura muscular e óssea é importante combater o sedentarismo antes disso.


Com sugestões de Piet van Loon e de Miguel Akkari, fizemos uma lista com sugestões de como prevenir problemas nas costas e má postura.



0 a 4 anos


- Deixe o bebê brincar de barriga para baixo nos primeiros meses,

- Estimule seu filho a engatinhar,

- Evite colocar a criança sentada constantemente enquanto ela ainda não se senta com as próprias forças. Restrinja o uso de cadeirinhas ao carro, onde ela é necessária,

- Deixe as crianças caminharem e brincarem tanto quanto possível. Evite o ganho excessivo de peso para que não haja sobrecarga de sua estrutura óssea e muscular.








5 a 8 anos


- Compense as horas que as crianças passam sentadas com atividades físicas para fortalecer os músculos que ficam parados. Vale desde sair para passear com o cachorro até dançar na sala de casa,

- Ensine às crianças a melhor postura para terem enquanto sentadas e enquanto estiverem em pé. A coluna deve ficar ereta. Na cadeira, os pés precisam estar apoiados sobre o chão (ou sobre um apoio), a coxa fica paralela ao solo e as costas apoiadas no encosto. Vale explicar quais são as consequências de ficar muito tempo na posição errada. As orientações são úteis para o tempo em que ela passa na escola e em casa, lendo, jogando videogame e assistindo à televisão,

- Oriente-as a levantar da cadeira entre uma aula e outra, andando até a mesa do amigo ou fazendo um rápido alongamento,

- Procure uma escola que ofereça aulas de educação física e, se possível, atividades físicas além do horário escolar. Se você morar perto da escola, tente levar seu filho a pé alguns dias,






- Seu filho odeia pausar o jogo no videogame e faz cara feia para ir à natação? Um último argumento pode ajudar: crianças com postura correta e músculos fortalecidos podem melhorar seu desempenho até mesmo no videogame.



TRATAMENTO COM FISIOTERAPIA





Hoje em dia, a fisioterapia preventiva escolar tem ganhado cada vez mais espaço. 





O fisioterapeuta possui papel fundamental no diagnóstico e tratamento de distúrbios do desenvolvimento, avaliando e identificando qualquer alteração no quadro neuropsicomotor. 





A intervenção desse profissional visa estabelecer e/ou restabelecer a funcionalidade do movimento, trabalhando no sentido de ensinar à criança posturas e movimentos funcionais, principalmente através da promoção de experiências motoras adequadas. 





Dentro desse princípio, a RPG (Reeducação Postural Global) possui grande destaque, sendo um importante aliado dos jovens para corrigir vícios e evitar deformações irreversíveis no futuro.!

Fonte: Marcela Bourroul 






.


RPG SOUCHARD - CURITIBA

  FISIOTERAPIA QUINTANA 
                                        (41) 99777882







.

domingo, 13 de julho de 2014

MITOS SOBRE O PILATES

O Pilates é um método de exercício físico que tem sido cada vez mais procurado, por conta disso, precisamos esclarecer alguns mitos sobre Pilates, a seguir você poderá ver 5 deles:



1. Você precisa estar em forma e já ser flexível para fazer Pilates.

Quando Joseph Pilates disse, “Em 10 sessões, você vai sentir a diferença. Em 20, você vai ver a diferença. E em 30, você terá um corpo totalmente novo”, ele não completava a frase com “mas somente se você tiver menos de 30, for magro e ágil”. Afinal, nosso corpo é formado principalmente por água. Nossos corpos são naturalmente dinâmicos e flexíveis. O principal obstáculo para atingir nossos objetivos de bem-estar é uma prática adequada, inteligente e consistente de um bom exercício físico.
Com a orientação adequada, o Pilates é um suporte ideal para uma ampla gama de condições físicas e necessidades corporais. O Pilates é apropriado para reabilitação, para pessoas sedentárias, e aqueles que precisam de um programa de exercícios que seja suave e gentil para as articulações do corpo.







2. Pilates é como Yoga.

Pilates e yoga são dois sistemas sofisticados de exercício integrais com algumas semelhanças básicas. O terreno comum que eles compartilham é a vinculação da respiração com o movimento. O foco na respiração fortalece a conexão  mente e corpo. Tanto o Pilates quanto o  yoga trabalham a flexibilidade muscular. Esta combinação de exercício integral e foco na respiração e  flexibilidade representa um dos principais benefícios de ambas as práticas.
Alguns praticantes combinam essas formas, enquanto outros preferem usar o Pilates com ênfase na construção de um corpo esculpido e forte. Outra distinção é o apoio do Pilates ao realinhamento, ao fazer uso de padrões de movimento que contribuem para realinhar o corpo todo.









3. Pilates é só para mulheres.

Esta é uma idéia estranha, considerando que “Contrologia”, o nome original do Pilates, foi desenvolvido por um homem, Joseph Pilates. Isso muitas vezes vêm da ideia de que exercícios “reais” trazem dor, suor e cansaço, e o Pilates, por ser um método mais gentil e suave, acaba sendo imediatamente relacionado ao público feminino.









4. Pilates é caro.

Com a abordagem correta e uma intenção sincera de aprender, Pilates não requer um grande investimento de dinheiro. Em vez disso, é possível conquistar a aprendizagem do método, integrando seus princípios e práticas e estabelecer uma memória muscular. Como toda novidade que se precise aprender, ele pode exigir um investimento inicial, mas os princípios aprendidos em Pilates aplicam-se a muitas outras atividades e duram uma vida.
Classes menores e de nível específico fazem com que você obtenha o máximo retorno possível. Você também pode pedir para um instrutor desenvolver um programa de exercícios para fazer em casa. Nesses casos, reunir-se com o seu instrutor, ocasionalmente, para rever o seu programa e verificar se há hábitos de movimento que podem ser modificados, em geral, podem ser uma ótima opção para quem quer economizar.
E, claro, quando você considera o dinheiro gasto em lesões resultantes de padrões de movimentos ineficientes, ou o quanto custam medicamentos para tratar a dor física crônica, o custo de se sentir bem é mínimo.









5. Pilates é fácil.

Pilates é uma forma adaptável de exercício que pode, como qualquer outra prática, ser fácil ou muito difícil, dependendo das necessidades do indivíduo. O ponto mais forte do método é o fato de que os exercícios de Pilates podem ser modificados para diferentes públicos. A ênfase que o Pilates dá para a consciência e controle corporal, pode fazer com que as pessoas que observem alguém se exercitando achem fácil, pois, é um exercício que precisa ser praticado com controle e equilibrio. “Você sempre deve fazê-lo de forma lenta e suavemente. Então todo o seu corpo está nele. Tudo deve ser suave, como um gato.” Como dizia Pilates. E esse é o maior motivo de confundirem o grau de dificuldade do Pilates. Ele é um exercício exigente e complexo, em contrapartida é suave e gentil, o que não quer dizer que seja fácil.
Fonte:http://haipilates.com/











.

DICAS PARA CONTROLAR O ESTRESSE


Nos dias atuais, vivemos sempre sob situações de estresse — contas a pagar, sobrecarga de trabalho, tensões familiares, excesso de tecnologia e 24 horas de notícias que só trazem preocupações. Embora muitas pessoas já tenham aprendido a conviver com isso, este modo de vida pode ter sérios impactos negativos sobre nossa habilidade de pensar com clareza e tomar boas decisões, no curto prazo, e prejudicar nosso cérebro, no longo prazo.
Estudos recentes mostraram que o estresse crônico pode levar à depressão e aumentar o risco de declínio cognitivo, levando a falhas de memória e até ao Alzheimer. Por que? Sob estresse, o sistema límbico do cérebro – responsável pelas emoções, memória e aprendizado – aciona um alarme que ativa a resposta de “luta ou fuga”, aumentando a produção de adrenalina e cortisol, que trabalham juntos para acelerar o ritmo cardíaco, aumentar o metabolismo e a pressão sanguínea, melhorar a atenção, o sistema imune e resposta anti-inflamatória, e reduzir a sensibilidade à dor – ou seja, todas as coisas que estão em jogo para a sua sobrevivência. Quando há estresse demais, o corpo reage.
No entanto, se você está sob estresse o tempo todo, o corpo se esgota e não consegue mais responder. Produção constante e elevada de adrenalina e cortisol pode causar desequilíbrio de açúcar no sangue e problemas de pressão, desgaste ósseo, destruir tecidos musculares e afetar o sistema imunológico. Isto bloqueia a formação de novas conexões neuronais no hipocampo, a parte do cérebro responsável por codificar novas memórias. Quando estas novas conexões são bloqueadas, o hipocampo pode reduzir de tamanho, afetando a memória.

Pior… muito estresse pode também nos fazer esquecer como reduzir o estresse, porque ele reduz a flexibilidade mental necessária para encontrar soluções alternativas e nos deixa desmotivados e exaustos. Então, da próxima vez que você esquecer o nome de alguém em uma festa, não fique obcecado em tentar lembra-lo. Ao invés disso, brinque com seu DNA (afinal somos humanos, não é mesmo?). É mais provável que o nome em questão volte à sua mente quando menos você esperar.
Saiba como melhorar a memória, controlando o estresse!
Ao invés de simplesmente viver estressado, aprenda a dominar de forma eficaz os níveis de estresse e aumentar a resiliência emocional. Isso pode ajudá-lo não somente a ter um bom desempenho no dia a dia, mas também proteger o seu cérebro a longo prazo dos efeitos nocivos do estresse. Siga as dicas abaixo que você vai conseguir:
1. Faça algum exercício físico: estudos mostram que o exercício aeróbico ajuda a construir novos neurônios e conexões no cérebro que inibem os efeitos do estresse. Um estudo de 2012 descobriu que pessoas que não praticam ou praticam pouca atividade física apresentam maior nível de estresse do que aquelas que se exercitam mais. O exercício regular também favorece uma boa noite de sono, reduz a depressão e aumenta a autoconfiança através da produção de endorfinas, o “hormônio da autoestima”.

2. Relaxe: Mais fácil do que parece, não é? Mas relaxamento – através da meditação, tai chi, yoga, uma caminhada na praia ou qualquer outra coisa que te faça bem e acalme sua mente – pode diminuir a pressão arterial, desacelerar a respiração, regular o metabolismo e a tensão muscular. A meditação, em particular, é extremamente benéfica para o controle do estresse e aumento da resiliência mental. Estudos mostram que o contato com a natureza pode ter um efeito positivo na redução do estresse e na melhora das funções cognitivas. Então mova seu tapete de yoga para o quintal, ou troque a corrida na esteira por um passeio no parque. Seu cérebro vai agradecer por isso.
3. Socialize-se: Quando você está estressado, perde o interesse de se relacionar com as pessoas e acaba desperdiçando oportunidades de convívio. Mas fazer novos amigos e participar de ocasiões sociais são fundamentais tanto para a saúde física quanto para a saúde mental. Então, crie ambientes saudáveis, que favoreçam as relações pessoais, convidando amigos e familiares. Isso vai te ajudar a combater o estresse e exercitar todas as suas funções cerebrais.
4. Assuma o controle: Estudos mostram uma relação direta entre sentimentos de domínio psicológico e resiliência ao estresse. Sentir-se no controle das situações, pode amenizar seu estresse e preservar a saúde do seu cérebro.
5. Dê gargalhadas: Nós todos sabemos, por experiência própria, que uma boa risada pode fazer-nos sentir melhor, e isso é cada vez mais comprovado por estudos científicos. O riso pode diminuir  os níveis de cortisol e adrenalina, ajudando no controle do estresse. Divertir-se com os amigos é uma forma de praticar dois bons hábitos de saúde do cérebro ao mesmo tempo. Só de pensar em algo engraçado pode ter um efeito positivo na redução do estresse e os danos que causa ao seu cérebro.

6. Pense positivo: Como você se sente diante de um problema quando sabe que não pode resolvê-lo. Em um estudo da Universidade de Harvard, alguns alunos foram convencidos de que o estresse que sentem antes de uma prova pode melhorar o desempenho em exames de admissão na pós-graduação. Eles tiraram notas mais altas em comparação aos alunos que não foram orientados da mesma forma. Isto significa que, basta mudar a maneira de olhar para certas situações, encarando desafios de forma positiva e aprendendo a viver com gratidão. Isso pode melhorar a sua capacidade de gerir o estresse e, consequentemente, aumentar a resiliência do cérebro.
O estresse tem um impacto muito negativo sobre a saúde mental, física e psicológica. Embora muitas vezes não possamos evitar situações de estresse, podemos aprender a lidar com elas e também com as consequências delas. Gerenciando o estresse e dominando nossas emoções com mudanças de hábitos e estilo de vida, ajuda a reduzir os danos ao cérebro decorrentes do estresse.
Fonte:http://metodosupera.com.br/







.