sábado, 28 de agosto de 2010

QUAIS SÃO OS PRÓS E CONTRAS DO IMPLANTE DE SILICONE?

Os prós e contras no uso de silicone



Apesar de o silicone nos seios ter virado moda nos últimos anos, o implante não é tão simples quanto parece. Colocar a prótese oferece os mesmos riscos que outras cirurgias. Por isso, antes de se submeter ao bisturi procure esclarecer todas as dúvidas com seu médico. 
 
Segundo os especialistas, a incisão para colocar a prótese de silicone pode ser feita em volta da aréola, no sulco sob o seio ou na axila. 
Cada médico prefere uma técnica. Já a posição do implante depende da constituição física da paciente. Se for magrinha e com pouquíssimo peito, a prótese deve ser colocada sob o músculo peitoral para um efeito mais natural, quando é chamada prótese retromuscular. 

A retroglandular, prótese implantada logo abaixo da glândula, é mais indicada para quem tem seios médios ou flácidos. 

Em relação ao formato, a prótese pode ser redonda com perfil alto, redonda com perfil baixo e em gota. 


«Normalmente, médico e paciente decidem juntos, avaliando o desenho natural da mama e o resultado desejado», diz a cirurgiã plástica Edith Kawano Horibe, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). 

A prótese redonda com perfil alto deixa o seio com mais volume e projectado para frente; a com perfil baixo é mais natural; e a terceira deixa o seio em formato de gota. Elas são envolvidas com silicone sólido que pode ser liso, texturizado ou revestido de poliuretano. Já seu interior, pode ser de silicone, gel ou soro fisiológico. Os tamanhos mais procurados são 195, 215 e 235 mililitros. 


Outra informação importante é que quanto mais elástica a pele, melhor a cicatrização. O corte no sulco mamário deixa uma cicatriz de cerca de 4 centímetros, que fica escondida pelo volume do seio. A incisão na metade inferior da aréola é quase imperceptível. Já na colocação da prótese via axila é feito um corte de 4 centímetros que fica disfarçado pelas dobras do tecido. 


Normalmente, a paciente é operada pela manhã e no período da tarde já é autorizada a voltar para casa. Alguns médicos colocam uma sonda para ajudar a desinchar a região e, nesse caso, aconselham que ela durma no hospital pelo menos uma noite. O tempo da cirurgia varia entre uma hora e meia e três horas e o tipo de anestesia - peridural ou local com sedação - fica a critério do médico. 


Rejeição e contra-indicação da cirurgia
O implante de silicone nos seios não é indicado para menores de 15 anos, pois até essa idade, geralmente, os seios não estão totalmente desenvolvidos. Mulheres com flacidez nas mamas, antes de colocar a prótese, têm de passar por uma plástica para retirar o excesso de pele - o que é feito na mesma cirurgia. 

O organismo pode rejeitar a prótese, envolvendo-a em uma cápsula fibrosa, que vai endurecendo, deformando os seios e causando dor. Próteses com invólucros texturizados ou revestidos de poliuretano diminuem esse risco. Caso a cápsula fibrosa se forme, o médico rompe a malha e troca o implante em uma nova cirurgia. 

Os dias seguintes
Terminada a cirurgia, o médico veste um sutiã reforçado na paciente. Ele pode ainda envolver o peito com uma faixa elástica, que ajuda a fixar o implante. Por um mês, todo esses «curativos» só podem ser retirados na hora do banho, isso a partir do terceiro dia. A recuperação é dolorida e a volta ao trabalho é liberada em cinco dias. Para fazer sexo é preciso esperar cerca de duas semanas; um mês para dirigir; e dois meses para fazer exercícios peitorais, carregar peso e apanhar sol. 

É possível amamentar com silicone?
É raro, mas há mulheres com silicone que não conseguem amamentar. 

O auto-exame também fica mais difícil, principalmente quando a prótese é retroglandular.
«Ela fica atrás da glândula mamária e altera a sensibilidade dessa região, dificultando a identificação de nódulos por meio do toque», explica o médico oncologista Ricardo Caponero, de São Paulo. «Por isso, é mais seguro recorrer à ultra-sonografia mamária, que identifica nódulos e ainda informa se a prótese apresenta fissuras.» 

Já a prótese retromuscular não compromete o exame. Outra desvantagem é a necessidade eterna da prótese. Depois de implantada, a prótese distende a pele e não há mais como voltar atrás. Caso a mulher queira remover o silicone, a mama fica flácida, murcha. Só dá para substituir o modelo anterior. E toda mulher com silicone deve trocar a prótese a cada dez anos.
Fonte: terra 

VEJA TAMBÉM 
MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG EM
22 FEV 2010
PROBLEMAS NAS MAMAS PÓS SILICONE

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

MEU FILHO RECLAMA DE DORES NAS PERNAS NO FINAL DO DIA. PODE SER DOR DO CRESCIMENTO?

A “dor do crescimento” trata-se de uma disfunção que acomete crianças e adolescentes entre três e 15 anos e varia de intensidade e frequência dependendo de cada caso. Essas dores estão presentes nos membros inferiores (pés e pernas) e podem estar associadas a uma jornada de grande atividade física, o que explica a incidência no final do dia.
Aproximadamente 25% das crianças que procuram o reumatologista ou o ortopedista pediátrico têm dores nas pernas, quando essas dores não estão relacionadas a trauma, em uma criança absolutamente normal, saudável e ativa, com episódios repetitivos elas muitas vezes podem ser as chamadas “dores do crescimento”. 

Essas crises características em crianças de 3 a 6 anos de idade podem ser diárias ou esporádicas, podendo estar presentes por longos períodos antes de desaparecerem. 

Em geral, a dor é bilateral, descrita pela criança como profunda, intensa e principalmente no final do dia ou à noite. Uma história típica é a da criança que vai dormir bem e acorda chorando com dor, solicitando a presença da mãe, que com massagens locais aliviam a dor. A criança volta a dormir e acorda bem no dia seguinte, reassumindo suas atividades normais. 

Um sinal importante para afastarmos outras patologias é que não ocorre sinais de "inflamação" articular: junta inchada, vermelha e quente. Costuma acometer meninos e meninas em proporções parecidas. 

Causas
Essa entidade não tem ainda causa conhecida. Na verdade não existe consenso entre os pesquisadores nem sobre o termo "Dores do crescimento". Na verdade, não se verificou qualquer relação desse quadro com o ganho de estatura, que ocorre de maneira muito lenta para provocar dor.

Existem muitas tentativas de explicar a causa. Uma das teorias é quanto ao desequilíbrio de crescimento de ossos, tendões e músculos, fadiga muscular ou mesmo atividades de impacto provocando dores próximas às áreas de crescimento. 

É muito comum encontrarmos distúrbios emocionais ou simplesmente uma situação de crise própria da idade (nascimento de um irmão, ingresso na escola, mãe que começa a trabalhar). 

Também se viu que essas crianças são, em geral, filhas de pais que também tiveram quadros semelhantes durante a infância e nas próprias crianças são encontradas outras situações de dor crônica como dor de cabeça ou dor abdominal, ou seja, parece haver uma combinação de fatores emocionais associados a uma " tendência" a dor crônica. 


Tratamento
A primeira coisa a ser feita é a exclusão de outras possibilidades diagnósticas, principalmente doenças reumatológicas, hematológicas e endocrinológicas, o que é feito durante a consulta e através da avaliação laboratorial. 

Depois de confirmado o diagnóstico, é fundamental que se tranqüilize a família, já que se trata de uma patologia benigna e auto limitada, que não trará seqüelas e limitações e que não terá impacto no crescimento da criança.

           Durante as crises,
mantém-se a conduta de usar analgésicos, 
massagens e calor. 

Não há indicação para limitar a criança em qualquer aspecto: alimentação e atividades físicas estão liberadas e devem, inclusive, ser estimuladas. Devemos retirar o rótulo de "criança doente" e que a família passe a administrar as crises dentro de uma atmosfera de tranqüilidade para a criança.

           Concluindo podemos dizer que as dores do crescimento são um diagnóstico de exclusão e que a criança com esta suspeita deve ser adequadamente avaliada pelo ortopedista pediátrico e reumatologista infantil.
fonte: mbcomunicação

terça-feira, 24 de agosto de 2010

DICAS PARA PERDER BARRIGA













1) DIETA EQUILIBRADA

Evite mobilizar muita insulina: a insulina é um hormônio que quando está circulando avisa às células que elas devem produzir gordura. O papel da insulina é manter os níveis de açúcar do sangue equilibrados entre 80 e 110 mg/dl. Isso é fundamental para nosso metabolismo, pois o cérebro se alimenta de glicose, então não pode faltar este combustível, além disso, não pode sobrar glicose no sangue.

Ela tem um efeito abrasivo nas artérias causando lesões. Para que não tenha a mais nem a menos existe a insulina com o papel de pedir glicose quando está faltando e mandar as células transformarem o excesso em gordura para usar quando necessário. 

 

- Como posso fazer barriga e engordar por causa da insulina?
- ficando muito tempo sem comer: mais de 4 horas sem comer nada pode avisar ao corpo que está havendo risco, o que ele faz? Libera insulina, que faz com que se sinta fome, enquanto você estiver distraído tudo bem, mas na hora em que for comer, a insulina vai mandar aproveitar para formar gordura em vez de músculo (no caso da atividade física), queimar gordura (no caso de quem está de dieta).

- Beliscando muito: comendo a toda hora um alimento altamente energético também mobiliza muita insulina. Comer a cada hora faz com que o pâncreas (órgão que produz insulina) trabalhe feito um louco.

- Comendo muito carboidrato simples: pão branco, biscoito, doces, balas, chicletes, barras de cereal, salgadinhos. Estes alimentos desprovidos de fibras são quebrados (digeridos) quase que completamente na boca, liberando glicose no intestino sem que haja barreira alguma para isso, deixando passar grande quantidade de açúcar e conseqüêntemente – INSULINA.  


- Alto consumo de bebidas estimulantes: café preto, chimarrão, coca-cola (light inclusive!)estas bebidas costumam trazer a falsa idéia de estar recebendo alimento.

- Excesso de insulina dá barriga porque possuímos receptores para gordura na barriga e este estímulo continuado faz com que se acumule gordura neste ponto. 
 

 

2) POSTURA : outro fator desencadeante da barriga é a postura curvada e sentada o tempo todo, procure se movimentar, levante-se durante o dia, mexa-se e observe se os músculos das costas não estão contraídos e os da barriga relaxados.

3) LÍQUIDOS com a COMIDA- Ingerir muitos líquidos com a refeição, isso acontece por um efeito mecânico, pois além de ocupar mais espaço torna a digestão mais lenta e difícil.

4) FALTA DE ÔMEGA 3 - ácidos graxos monoinsaturados - ômega 3 e ômega 6 tem a propriedade de modular os receptores localizados na linha da cintura. Portanto se faz necessário o consumo de alimentos que sejam fonte destes ácidos graxos como nozes, castanhas, semente de linhaça, semente de girassol, azeite de oliva extravirgem, soja. 

 



















5) SEDENTARISMO - Não podemos esquecer da atividade física, que sem ela pouco do que falamos acima resolve totalmente o problema.
Fonte:Site Médico



VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA 

EM  2/SET/2009
ABDOMEM SARADO SEM ABDOMINAL



EM 4/DEZ/2009
ABDOMEM E PILATES


E EM 2/ABR/2010
ABDOMINAL TIRA BARRIGA?

domingo, 22 de agosto de 2010

SENTAR ERETO DÁ MAIS CONFIANÇA

Postura ereta melhora confiança, diz estudo



Agora, no momento em que lê esta reportagem, como você está sentado? Muitas vezes não notamos nossa postura, mas um estudo indica que ela influencia mais do que o corpo. 

Pesquisadores da Universidade de Ohio (EUA) mostraram que sentar com a coluna ereta dá mais confiança à pessoa em relação a seus próprios pensamentos. 

Uma equipe de psicólogos descobriu que aqueles a quem pediam para sentar-se corretamente estavam mais propensos a acreditar no que escreviam sobre suas próprias qualidades para uma vaga de emprego. Já aqueles que estavam "largados" se mostraram menos inclinados a assumir as qualidades que descreveram. 

Segundo Richard Petty, coautor do estudo e professor de psicologia da universidade, os resultados mostram que a postura ereta influencia não apenas o jeito como os outros nos veem, mas a forma como nós nos percebemos. 

"Se você se senta com a coluna ereta, 
sua postura
acaba convencendo você mesmo", 

diz Petty, que conduziu o estudo com Pablo Briñol, atualmente na Universidade Autônoma de Madri, e Benjamin Wagner, estudante da Universidade de Ohio. 

Artes e negócios
O estudo, publicado no "European Journal of Social Psychology", avaliou 71 alunos da própria universidade.
Quando iam ao laboratório, os participantes eram informados de que participariam de dois estudos concomitantes --um para a escola de administração, outro para a de artes. 

Os pesquisadores disseram que o estudo de artes examinaria fatores que contribuem para a habilidade de atuar --nesse caso, a habilidade de manter uma postura específica enquanto realiza outras atividades. Os estudantes foram colocados à frente de um computador e instruídos a se sentar eretos projetando o peito ou sentar inclinados para frente, "olhando para os joelhos". 

Enquanto estavam em uma dessas posições, eles participaram do suposto estudo de negócios que investigaria fatores influentes na satisfação e na performance profissionais. Listaram três características positivas ou três negativas relacionadas a uma futura performance profissional. 

Após cumprirem a tarefa, responderam a uma pesquisa na qual avaliaram a si mesmos sobre como seriam em seus futuros empregos. E a autoavaliação dependeu de qual postura eles adotaram enquanto descreviam suas características. 

As avaliações dos estudantes que mantiveram a coluna reta estavam mais de acordo com as qualidades, boas ou más, descritas anteriormente. 

Em outras palavras, se eles descreveram traços positivos de si mesmos, avaliaram a si mesmos mais positivamente. E, se listaram traços negativos, se autoavaliaram mais negativamente. Petty afirma:

"A postura ereta 
deu mais confiança aos pensamentos,
fossem eles negativos ou positivos"


Já os alunos "desleixados" não se mostraram muito convencidos de seus próprios pensamentos. Suas avaliações não diferiram muito, não importando se escreveram coisas positivas ou negativas. 

Petty ressalta que, durante a experiência, os pesquisadores não utilizaram palavras como "confiança", "dúvida" ou qualquer outra que indicasse um estado de espírito para solicitar determinado tipo de postura. 

Uma pesquisa paralela mostrou que os estudantes em postura ereta, apesar de indicarem mais confiança, não se sentem conscientemente mais confiantes --indicando que os pensamentos são influenciados pela postura mesmo que não haja a percepção disso. 

O estudo agora apresentado dá sequência a um conduzido por Petty e Briñol sobre balançar a cabeça. Eles concluíram que as pessoas acreditam mais em seus pensamentos quando balançam a cabeça para cima e para baixo do que quando a balançam de um lado para outro. 
Fonte: Folha Online

ASSISTA O VÍDEO
POSTADO EM
8/FEV/2010

O SEGREDO DO PILATES

Joseph Pilates era um jovem que sofria de graves problemas de saúde que percebeu que com a atividade física podia tornar o seu corpo forte melhorando e mantendo a sua saúde. 

Fundamentando-se na ginástica sueca e nas correntes orientais criou o seu método ao qual chamou “Contrologia”, que significava o controle do corpo pela mente. 

O seu objetivo era tornar o corpo forte
do centro
para as extremidades. 

A sua ideia foi de tal forma brilhante, que contagiou pessoas influentes do mundo da dança e do espectáculo que reconheram a importância de ter uma boa condição física como forma de evitar possíveis lesões.





veja matéria publicada  em 
15/02/2010
THE CREATOR OF PILATES








.

sábado, 21 de agosto de 2010

ALONGAMENTO AXIAL - ALONGAR O CORPO LONGITUDINALMENTE

 Será que você tem alongamento axial? Não sabe? E dor nas costas você tem?

E essas pessoas das fotos, será que sentem dores nas costas?

Se você respondeu que com certeza elas sentem dor, se equivocou. Estudos dizem que não.

E para mostrar de forma mais clara e instigar a curiosidade de vocês a continuarem lendo, vou usar o exemplo dessas pessoas que carregam cargas na cabeça por horas às vezes. E por que elas não sentem dor?

Simples:
elas possuem 
 alongamento axial.

Observe as suas posturas, bem eretas, e equilibradas. E é isto que um bom alongamento crânio-caudal faz com nossa postura, a deixa alinhada, com todas as curvas naturais da coluna preservadas.



Mas o que é alongamento axial? 
O alongamento axial é a criação de espaço articular e se tratando da coluna esse espaço está aumentado entre os discos vertebrais. 

O benefício direto da aplicação deste princípio é a melhor mobilidade da coluna e diminuição de compressões nos discos, logo alívio de dores e prevenção de patologias (ex: hérnia de disco).




Acabamos de ler que é preciso “descomprimir” os discos e isso é possível com o alongamento axial. Sendo assim, essas cargas acima da cabeça geram mais pressão, peso na coluna? 


Não, ao menos no caso dessas pessoas que já fazem isso desde crianças e assim fortalecem a coluna. 

Como isto acontece? 
Para entender melhor, vamos analisar o funcionamento de alguns aspectos da coluna vertebral.

Suas partes “principais” são: corpo vertebral, disco intervertebral (anel fibroso e o núcleo pulposo).



O disco vertebral funciona como um amortecedor, as pessões são distribuídas por todo o disco, e o núcleo dentro dele põem-se sob tensão e age como um amortecedor fibro-hidráulico, que funciona muito bem se mantendo hermeticamente fechado (caso contrário temos uma hérnia, quando o núcleo é rompido e não suporta mais essas pressões) 

veja as figuras:
Alongamento axial: como acontece?
Alongamento axial: como acontece?

Alongamento axial: como acontece?




 Então quando essas pessoas colocam um peso sobre a  cabeça, elas precisam manter-se eretas para este peso não cair, com isso seus discos ficam alinhados funcionando perfeitamente como amortecedor, e isso acaba sendo um exercício para as musculaturas mais profundas. 

É importante ressaltar, que isso não vale para nós que não estamos habituados, se resolvermos fazer isso, é provável que ficaremos com dor, por dias.

Temos também nesse aspecto do amortecimento o mecanismo de ação e reação, que funciona como mostrado a seguir: 

durante os exercícios abdominais, por exemplo, uma força de ação é realizada na flexão do tronco (quando subimos), e em contra resposta uma de reação (Lei de Newton), isso gera uma pressão (musculatura abdominal x dorsal), que terá que sair por algum lado?

Ela só conseguira sair por cima ou por baixo, já que pela frente e por trás ainda está ocorrendo à pressão. Essa saída faz com que as vértebras se distanciem mais, aliviando assim os discos vertebrais. 


Veja a seguir:
Alongamento axial: como acontece?
 

É justamente essas características de amortecimento do núcleo pulposo, ação e reação que exploramos no alongamento axial, 
são esses mecanismos que nos permitem alongar axialmente, ou seja na direção longitudinal ou crânio-caudal. E assim manter as curvaturas preservadas, que distribuem as cargas ao longo de toda coluna.  

Veja as figuras : Quando a coluna se mantem alinhada, os discos ficam livres de compressão, podendo até suportar cargas importantes, como as pessoas que transportam peso sobre a cabeça. 

      Experimente uma situação de alongamento axial?
- Posicione-se sentado em uma cadeira com os ísquios bem apoiados (aqueles ossos do quadril proeminentes na região dos glúteos), com os pés bem apoiados no chão. A coluna lombar neutra, ou seja, normal com sua lordose (curvatura entre os glúteos e as costelas).

- Imagine agora que sua cabeça é uma bola de gás e a sua coluna é a linha amarrada nessa bola. Sendo assim, este bola cheia de gás (sua cabeça) está sempre querendo subir mais (“criar” espaço entre os discos vertebrais) e a sua coluna, sendo representada pela linha amarrada na bola, mantêm-se esticada a todo instante, mas de forma natural, mantenha os ombros baixos e relaxados; respire mantendo esse alongamento longitudinal com o abdômen levemente contraído.

- Agora “desmonte” a postura, fique normal e veja a diferença de como é uma posição bem alinhada e como você costuma ficar no dia a dia. 

Depois dessa explicação : Como vai seu  alongamento axial?
 

Fonte: Profª Renata Batista






veja também matéria publicada neste blog
em 14/ 05 /2010
PILATES FAZ CRESCER?





.

ESTATÍSTICA DO CÂNCER


CÂNCER 
 TERCEIRA DOENÇA 
QUE MAIS MATA NO BRASIL, 
COM 500 MIL NOVOS CASOS 
PREVISTOS SOMENTE EM 2010

domingo, 15 de agosto de 2010

BANANA E ATIVIDADE ESPORTIVA


A banana, rica em potássio ajuda a prevenir cãimbras, o que por si só já seria uma razão para ser consumida por quem faz atividade físicas, mas o que a torna especial é que também tem uma alta concentração de carbohidratos.

É uma boa fonte de energia , essencial ao esporte; pode ser facilmente "carregada" para os treinos, o que a torna pratica para o consumo, além de ser bem aceita pela maioria das pessoas. 

Os atletas garantem que esta fruta  promove melhores desempenhos musculares, e os nutricionistas a recomendam como uma das fontes preferidas de carboidratos para antes e após os treinos, ou até mesmo durante o exercício, se houver condições de digestibilidade.

Além de saborosa e saudável é fonte de vitamina B6, carboidratos e potássio que são importantes na regulação da contração muscular e equilíbrio hídrico durante o exercício.

Além do potássio, os atletas podem consumir bananas por conter uma boa quantidade de carboidratos, capaz de recuperar as reservas energéticas durante o exercício. 

Este fato foi comprovado por Mitchell et al, utilizando 10 indivíduos treinados, que após o exercício físico consumiram quantidades pré-estabelecidas de bananas e recuperaram suas reservas. 

VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG:
EM 3 SET 2009

sábado, 14 de agosto de 2010

DAVID BECKHAM E O PILATES

Beckham mostra flexibilidade em aula de pilates

A INCRÍVEL FLEXIBILIDADE DE DAVID BECKHAM


O jogador David Beckham mostra que mantém a boa forma física com aulas semanais de pilates, além dos exercícios regulares com o futebol. O britânico mostrou incrível flexibilidade e afirmou para o jornal "The Sun" que deve tudo isso a prática de pilates durante uma hora por dia.

Beckham disse também que está em sua melhor forma, graças às aulas de pilates, que é considerada uma rotina esportiva tipicamente feminina. O jogador começou os treinamentos durante o tempo em que esteve no Milan, da Itália.

É comum os clubes italianos insistirem para seus jogadores fazerem pilates, uma vez que contribui com o equilíbrio da balança e com a flexibilidade. Beckham reduziu os 13,7% de gordura no corpo para 8,5%, desde que começou as aulas.

Fonte: MSN


FRASE INTERESSANTE DE
JOSEPH PILATES SOBRE 
FLEXIBILIDADE

ALONGAR O CORPO TODO ATRAVÉS DO STRETCHING GLOBAL ATIVO


O Stretching Global Ativo (SGA) é uma derivação da Reeducação Postural Global (RPG), método revolucionário desenvolvido por Phillipe Souchard, que visa a prevenção e a correção de desvios posturais. 


 

O SGA nasceu da necessidade de orientar atletas e técnicos quanto a melhor maneira de levar adiante os treinos e a prática desportiva, sem contudo prejudicar a estrutura física destes indivíduos. 

Criado por Phillipe Souchard em 1995, o SGA mantém os princípios do RPG, de forma a tirar o melhor proveito da fisiologia dos músculos envolvidos em cada modalidade esportiva, respeitando às características individuais dos atletas.

No SGA, a maneira de executar um alongamento decorre de determinados princípios anatômicos, biomecânicos e físicos. Esses princípios integram a base do trabalho de reeducação postural global.

 

O SGA é um alongamento progressivo 
e não forçado, 
aplicado de forma global e específica 
para cada pessoa. 

É global porque vários músculos são solicitados simultaneamente (inclusive os da respiração), sem que haja compensações em outras partes do corpo, ou seja, preservando o eixo e o espaço das articulações, as curvaturas da coluna e dos discos intervertebrais.

 
O SGA utiliza posturas de alongamento  com a duração de até 10 minutos cada postura. 


As sessões de 50 minutos podem ser individuais ou em grupo, com uma freqüência de no mínimo 2 vezes por semana. 


É indicado para todas as idades a partir da pré-adolescência.
Fonte: sbrpg





veja também matéria publicada neste blog em
21 ago 2010

ALONGAMENTO AXIAL - ALONGAR O CORPO LONGITUDINALMENTE






.




.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

KAKÁ E O TRATAMENTO DA PUBALGIA

Kaká terá que fazer tratamento contra pubalgia a vida toda


 Kaká terá que fazer tratamento “por toda a vida” para não sofrer uma recaída da pubalgia, problema que o afastou do time do Real Madrid por 42 dias entre o final do ano passado e o início desse ano.

 Médicos do Real Madrid disseram que Kaká tem trabalhado meia hora antes e depois dos treinos para fortalecer abdômen, glúteos e as costas. Por causa do tratamento, o jogador não estaria com 100% de sua força física nas últimas partidas. 


Segundo os médicos do Real, o brasileiro terá que fazer esse trabalho até o final da carreira, mas “voltará a ser como antes”

VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG:
EM 12 AGO 2010
DOR NO QUADRIL PODE SER PUBALGIA

DOR NO QUADRIL PODE SER PUBALGIA

O termo pubalgia denomina dor no púbis (o osso que se localiza no final do músculo do abdome, sob a região genital; faz parte do osso do quadril - veja figura a seguir -


Essa denominação é muito abrangente, o que muitas vezes gera confusão, pois seus sintomas podem se assemelhar a outras patologias. Para alguns autores este termo é usado para a ocorrência da lesão do canal inguinal, mais conhecida como hérnia inguinal.


Outras patologias que têm sintomas parecidos são: hérnia inguinal, doenças geniturinárias, osteítes púbicas (síndrome do músculo grácil e síndrome do músculo piriforme), prostatite, bursites na região do quadril ou artrite do quadril. 

Porém, mais de uma causa pode estar associada à dor no quadril. Abordaremos nesta matéria somente a dor na virilha relacionada à tensão da musculatura dessa região com ou sem alteração do osso do púbis e sem hérnia inguinal.


A dor na região do púbis ou na virilha é muito comum em atletas e pode ser aguda ou crônica. Acomete principalmente jogadores de futebol e tênis, mas também corredores de longa distância (maratonistas) quando em treinos de tiro, ou corredores de aventura. 

É mais freqüente em homens do que em mulheres devido à quantidade proporcional de praticantes de futebol e também às diferenças anatômicas e biomecânicas dessa região do corpo (a bacia da mulher se adapta melhor aos impactos dos esportes).


Mecanismos de lesão e causas.
Os mecanismos de lesão podem incluir alterações rápidas de direção, movimentos repetidos de corrida associados a desequilíbrios musculares, traumas diretos, diferenças no comprimento dos membros inferiores, prática esportiva em pisos duros, uso de calçados inadequados e excesso de treino.


A causa mais comum da dor na virilha é a distensão ou tensão exagerada da musculatura que envolve esta região, abrangendo os músculos adutor longo, reto abdominal, iliopsoas, pectíneo e reto femoral. 



Pouca flexibilidade da musculatura da região do quadril e pélvis, assim como instabilidade de quadril e desequilíbrio muscular entre adutores e músculos do abdômen, também podem contribuir para o surgimento da pubalgia.


Quando a pubalgia tem sua causa na musculatura, o músculo e tendão mais acometido normalmente é o do músculo adutor (porção longa), podendo apresentar uma inflamação crônica ou até uma lesão das fibras (ruptura de uma parte do tendão ou músculo). 

Outro músculo comumente acometido é o reto abdominal na porção que se insere no osso púbis. A tensão nestes dois músculos desequilibra o quadril, pois o músculo reto abdominal traciona o osso do quadril para cima, enquanto o adutor puxa para baixo.


Sintomas.  
A dor é bem localizada na virilha e pode acometer apenas um lado ou os dois. Normalmente ocorre durante a corrida (ou outro esporte), mas se o atleta continuar correndo a dor pode aparecer durante outras atividades como sentar-se e levantar-se de uma cadeira, subir e descer escadas, agachar, mudanças de direção abrupta, aceleração e chute. Corredores normalmente apresentam dor localizada e forte desde o início da doença.


Se houver irradiação da dor, o atleta pode sentir incômodo na região de abdome inferior, adutores, região genital e lombar, caso haja associação com alterações da articulação sacroilíaca (junção do quadril e porção final da coluna).


Diagnóstico. 
 Quanto mais demorado for o início do tratamento maior será o tempo de recuperação. Quando diagnosticado e tratado rapidamente o corredor tem a chance de não se afastar da corrida, tendo apenas o seu treino modificado até a recuperação total. O tempo de afastamento do esporte depende de cada caso.
O diagnóstico médico é de extrema importância.

Além do exame físico, os exames de imagem auxiliarão o médico a fazer o diagnóstico correto. O raio X pode mostrar lesão do osso púbis, calcificação dos tendões acometidos, osteoartrite ou instabilidade pélvica. Já a tomografia computadorizada e a ressonância magnética podem evidenciar outras causas da dor na virilha, como a existência de hérnia inguinal ou lesões musculares e tendíneas.


Tratamento.  
O tratamento para dor na virilha decorrente da hérnia inguinal é, na maioria das vezes, cirúrgico. Já o tratamento para pubalgia decorrente das alterações musculares e ósseas é conservador. Esse é o principal motivo de escolhermos o segundo tipo para aqui abordarmos. Além do tratamento médico, a acupuntura e a fisioterapia auxiliarão a completa recuperação. 


O objetivo do tratamento fisioterápico consiste em diminuir a dor e a inflamação, aumentar a resistência do tendão ou tendões acometidos, restabelecer o equilíbrio muscular, melhorar a estabilidade do quadril e da coluna. 

É recomendada a aplicação de bolsa de gelo por 20 minutos no local da dor, duas a três vezes por dia, desde o início do aparecimento da dor até o final do tratamento. 



No início da patologia não se deve correr com dor. Muitas vezes, após a realização do tratamento correto, no retorno ao esporte pode acontecer um pouco de dor durante a corrida, mas essa dor pode ser descrita mais como um incômodo do que dor. A musculatura acometida precisa de um tempo de adaptação, o que justifica esse incômodo, bem diferente da dor durante a pubalgia.


A pubalgia é um grande desafio na medicina esportiva. Não é apenas um problema para ser diagnosticada, mas também de difícil tratamento. Se não tratada corretamente pode se tornar crônica e atrapalhar a vida esportiva dos atletas. É uma patologia que requer um acompanhamento multidisciplinar. 

Siga sempre a orientação do seu médico e procure um profissional capacitado para acompanhar a sua reabilitação. 

O fisioterapeuta poderá utilizar técnicas de terapia manual e correções posturais como RPG (Reeducação Postural Global) para proporcionar uma recuperação segura e completa (sem recidivas). 
Fonte: contraorelógio














VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG
EM 28 NOV 2010
O QUE É PUBALGIA?








.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

KAKÁ E A LESÃO NO JOELHO

Kaká pode ficar afastado do futebol 

por dois meses e 

passar por artroscopia

 

O meio-campista brasileiro Kaká, que atua pelo Real Madrid, sofreu uma lesão no menisco de seu joelho esquerdo e poderá passar por uma cirurgia segundo informou nesta quinta-feira o clube espanhol em seu site oficial.




No caso de intervenção cirúrgica, Kaká não poderá jogar futebol durante pelo menos dois meses, de acordo com a imprensa espanhola.

O jogador brasileiro abandonou nesta quarta-feira a concentração do Real Madrid em Los Angeles, nos Estados Unidos, para ser examinado e eventualmente operado na Bélgica pelo médico Marc Martens, segundo comunicado oficial do Real Madrid.

“Após chegar à concentração da pré-temporada em Los Angeles e ser submetido aos exames médicos antes de sua incorporação aos treinamentos da equipe, Ricardo Izecson dos Santos Leite, Kaká, sentiu desconforto no joelho esquerdo”, informou o comunicado.

“Uma vez realizada a análise médica, e após vários exames complementares, se suspeita de uma possível lesão no menisco que poderá precisar de uma artroscopia”, completou o aviso do Real Madrid.

Por outro lado, o clube comemorou uma “leve melhora” da pubalgia sofrida pelo jogador brasileiro que teve alterada a sua pré-temporada no Real Madrid, após o trabalho preventivo que foi programado pelos médicos durante suas férias posteriores à Copa do Mundo.

Após a vitória por 3 a 2 sobre o América do México na sua estreia pelo Real Madrid, o treinador português José Mourinho comentou a ausência de Kaká e disse que vai contar com o jogador brasileiro apenas quando ele estiver em suas melhores condições físicas.

"Quanto a Kaká, lhe desejamos 100% para que esteja feliz. Se tivermos que perdê-lo por um tempo não será um drama, temos outros jogadores. Mas ele é um dos melhores do mundo”, disse Mourinho.

 veja também matéria publicada neste blog em:
 13 jun 2010
LESÕES MAIS FREQUENTES NO FUTEBOL

 

fonte: agências internacionais

domingo, 8 de agosto de 2010

A BICICLETA ESTACIONÁRIA FUNCIONA MESMO?



Vale a pena usar?

Apesar de apresentar uma demanda cardiovascular e respiratória entre 10 e 15% inferior à corrida, pedalar é sem dúvida um excelente exercício aeróbico. 

E as bicicletas ergométricas são uma excelente alternativa para pessoas com sobrepeso e obesidade. E, em termos de gasto calórico, as estimativas são animadoras. São queimadas entre 350 e 600 calorias por hora de atividade, dependendo da bicicleta, do tamanho do praticante e da intensidade empregada.


Os modelos
Particularmente, eu prefiro correr, mas não há como negar que a bicicleta ergométrica facilita a vida de quem prefere se exercitar de forma prática, assistindo TV, ouvindo música ou lendo um livro. 


Há uma infinidade de modelos e marcas no mercado. Recomendo aquelas que ofereçam o ajuste de esforço magnético, pois tornam a pedalada mais suave e uniforme. Além disso, evita-se o desgaste mecânico e a troca de correias. 


As mais conhecidas são a bicicleta vertical, a reclinada e a de spinning. A vertical é semelhante a uma bicicleta de passeio tradicional. Você senta em um pequeno banco, com as costas sem apoio e os pedais ficam posicionados.


As bicicletas reclinadas são indicadas para pessoas que estão acima do peso ou que sofrem de problema nas costas. Uma bicicleta ergométrica reclinada possui um assento de poltrona vertical com apoio para as costas, e os pedais ficam à frente – não embaixo. A desvantagem das reclinadas se encontra no preço (mais elevado) e na demanda cardiovascular e respiratória, um pouco inferior aos modelos verticais.


As bikes de spinning são bastantes populares em academias de ginástica, mas menos usadas em casa, pois são mais caras e exigem um conhecimento maior sobre o ajuste do selim, guidão, mesa e outros detalhes. No entanto, é sem dúvida a melhor opção para os que visam um condicionamento físico mais pronunciado.


Observação: O ciclismo indoor (nome como a modalidade foi chamada) foi criado em 1995 nos EUA, pelo ciclista sul-africano Johnny G. 

O nome spinning é uma marca registrada, sendo um método de condicionamento físico utilizando a bicicleta ergométrica de ciclismo indoor.
Por Renato Dutra



VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG EM 
22 OUT 2009 

sábado, 7 de agosto de 2010

DICAS PARA EVITAR UM DERRAME (AVC)

  • Controle sua pressão.
  • Evite o fumo.
  • Pratique atividades físicas.
  • Faça controle periódico da sua taxa de colesterol. 
  • Tenha uma alimentação saudável e procure manter o seu peso.

            

Veja também matéria publicada neste blog em:

1 de novembro de 2009


CUIDE-SE COM O DERRAME



    quarta-feira, 4 de agosto de 2010

    QUANDO AS JUNTAS ESTALAM... O QUE É ISTO?


    Os sons produzidos nas juntas podem não ter significado clínico algum, sendo apenas produzidos por deslizamento do tendão/ligamento sobre a articulação. Por outro lado, podem ser produto do desgaste da cartilagem (crepitação), como são vistos na "artrose", a forma mais comum de reumatismo.

    Muitos não sabem, mas reumatismo não é uma doença. É um termo genérico que se refere às doenças que acometem as articulações - ou "juntas". 

    Existem cerca 120 formas de doenças reumáticas 
    ou "reumatismos" 
    que podem ser agrupadas em 
    doenças degenerativas, 
    inflamatórias, 
    auto-imunes, 
    infecciosas, 
    metabólicas e 
    pós-traumáticas


    Doenças que têm um grande custo para o sistema de saúde do país - 30% da população têm sintomas de dor nas juntas e/ou na coluna - e afetam o indivíduo a ponto de torná-lo incapacitado para exercer suas atividades cotidianas de trabalho e lazer.


    Como em qualquer patologia, informações corretas e um diagnóstico precoce podem representar a diferença entre conviver ou não com deformidades e sérias limitações. 


    Por isso, fique atento: os sons produzidos nas juntas podem não ter significado clínico algum, sendo apenas produzidos por deslizamento do tendão/ligamento sobre a articulação. Por outro lado, podem ser produto do desgaste da cartilagem (crepitação), como são vistos na "artrose". 


    De acordo com o reumatologista, Carmo Gonzaga de Freitas, é importante lembrar que a artrose não ocorre somente em idosos, podendo acometer indivíduos mais jovens, principalmente, se houver algum traumatismo ou frouxidão ligamentar prévios. 


    “É preciso ressaltar que ficar em locais frios (cinema) ou parado na mesma posição por algum tempo pode produzir esses sons, sem estar relacionado a algum distúrbio ligamentar. 

    Entretanto, se isto estiver causando algum transtorno, deve-se procurar um reumatologista para uma melhor avaliação, pois podem ser indicados alguns exercícios para fortalecimento muscular, a fim de obter-se uma maior estabilidade da junta”, explica o médico. 


    Algumas outras doenças como a gripe, a dengue e o hipotiroidismo também podem causar dores nas “juntas” e não representarem doenças reumáticas. 


    Outra questão para a qual o médico chama a atenção diz respeito à importância dos pais ficarem atentos às queixas dos filhos. “Sempre que uma criança se queixa com freqüência de dores em membros ou tem algum sintoma que a impeça de brincar como as outras crianças deve ser levada ao médico”. 



    O reumatismo mais comum em crianças é a febre reumática, que ocorre como complicação de uma infecção de garganta, e pode causar dores nas juntas, problemas cardíacos e no sistema nervoso. Contudo, outros reumatismos, como as artrites crônicas - mais raramente o Lupus, a Dermatomiosite e a Esclerodermia - podem ocorrer.
    Fonte: Jornal Correio de Uberlândia


    Postado recentemente por um anônimo:???

    " Do ponto de vista cientifico, ainda não é conhecida a razão deste fenómeno, 
    adiantando-se como hipóteses mais prováveis as seguintas: 
    1- fenómeno de cavitação por alteração da pressão intra-articular; 
    2- expansão por compressão de bolhas de ar intra-articular; "
    3- estiramento ligamentar.