terça-feira, 30 de abril de 2013

A CIFOSE, POPULAR "CORCUNDA" E O PILATES





Antes de relacionarmos a técnica do Pilates com a postura, vale a pena saber quais são as características e as complicações que a cifose pode nos trazer.


A cifose é o nome dado à convexidade posterior natural da coluna torácica. A hipercifose é o aumento da curvatura da região dorsal, ou seja, é o aumento da convexidade posterior no plano sagital, podendo ser flexível ou irredutível.



Uma das causas mais importantes dessa deformidade são a má postura e o condicionamento físico insuficiente. Doenças como espondilite, anquilosante e a osteoporose senil, também ocasionam esse tipo de deformidade nos adultos. Nos jovens, a osteocondrite é a principal causa de deformidades mais acentuadas. É bastante tratada por fisioterapeutas ortopedistas.


O aumento da curvatura cifótica promove alterações anatômicas ocasionando o dorso curvo, gibosidade posterior, encurtamento vertebral e pode ocorrer déficit respiratório, por reduzir a capacidade de sustentação da coluna vertebral e também a diminuição da expansibilidade torácica. A cintura escapular torna-se projetada à frente, com deslocamento das escápulas para baixo e para frente. A musculatura peitoral torna-se hipertônica e a dorsal hipotônica. A cabeça é projetada à frente da linha de gravidade, ocasionando uma hiperlordose cervical.


Toda hipercifose, de um modo geral, tem sua lordose compensadora, cervical e lombar, para dessa forma poder manter a sustentação do corpo mesmo que descompensada.





A cifose pode localizar-se na região dorsal, dorso-torácica e toracolombar. Neste último caso, encontraremos uma retificação da lordose lombar, contribuindo para a redução da mobilidade desta região.


Como o Pilates é uma modalidade que trabalha as compensações no corpo, podemos utilizar a técnica para fortalecer determinadas musculaturas para que o corpo fique em equilíbrio e restabeleça seu centro de gravidade. Com os exercícios corretos para fortalecimento de toda a região posterior, é possível que essa má postura seja melhorada.
Fonte: www.wikipedia.org










.

COMO PREVENIR AS DOENÇAS MAIS COMUNS NOS CORREDORES?




As quatro mais comuns lesões nos membros inferiores em corredores são:
Dores nas canelas
Lesão no tendão de Aquiles
Fascitiis plantares
Fratura por estresse



Dores nas canelas
As dores nas canelas (ou síndrome do estresse tibial medial) refere-se a dor e sensibilidade ao longo do aspecto (no interior) medial da tíbia (osso da canela). Embora esta doença não é exclusiva de corredores, correr é uma das causas mais comuns. Atividade repetitiva conduz à inflamação do periosteum, (ou revestimento) da tíbia, o qual é muito doloroso. Os músculos na parte da frente da perna podem ser envolvidos. Tratamento de dores nas canelas inclui o uso do regime de RICE (repouso, gelo, compressão e elevação), e atividade modificada. Corredores afetados por dores nas canelas devem diminuir a quilometragem semanal, cruzar o treino com outros tipos de exercício cardiovascular, alongamento, e considerar o uso de medicamentos anti-inflamatórios. Se os sintomas persistirem, consulte um médico para excluir condições mais graves.


Lesão no tendão de Aquiles
O tendão de Aquiles está localizado na parte de trás da parte inferior da perna, e anexa o grupo de músculos flexor plantar (músculos da tibia) ao calcâneo (osso do calcanhar). Embora o tendão é uma das mais espessa e mais forte no organismo, é ainda vulnerável a lesão, devido à força excessiva que é submetido a durante a corrida. A lesão no tendão de Aquiles mais comum é tendinite (ou não-específica da inflamação), causada por excesso de uso. Tendinite geralmente resulta quando os corredores aumentam a quilometragem semanal muito rapidamente, ou de repente adicionam treino progressivo a rotina de exercícios. O tratamento é geralmente conservador, utilizando o protocolo RICE. Além disso, ortopedia anti-inflamatória, e sapato podem ser empreguados para diminuir a dor e ajudar a cura.


Fasceíte plantar
Fasceíte plantar é uma lesão de esforço do tecido mole flexor do pé. A condição envolve dor no calcanhar que geralmente ocorre depois ou durante o exercício. Os corredores são vulneráveis, como também são as mulheres, indivíduos com excesso de peso, e os trabalhadores que passam longas horas em pé. O tratamento é geralmente não-cirúrgico, com o protocolo RICE, medicação anti-inflamatória, suaves exercícios de alongamento e ortopedia. Em casos graves, ininterruptos, a cirurgia pode ser necessária.


Fratura por estresse
Fratura por estresse é uma lesão de esforço. Em corredores, fraturas por estresse ocorrem mais comumente nos pés, pernas ou quadris. Fraturas por estresse resultam da fadiga do osso, geralmente relacionados com o movimento repetitivo. O exercício repetitivo leva a pequenos microtraumas no osso. Ao longo do tempo, sem descanso apropriado, o dano cumulativo torna-se uma fratura do osso. Deve-se parar a atividade repetitiva senão há possibilidade de levar a uma forma mais grave de  fratura, completa, ou  ainda problemas crônicos de perna.


Prevenção
A prevenção destas lesões comuns da perna é uma questão de usar o bom senso ao treinamento. 
Corredores precisam usar uma abordagem de senso comum, e evitar o excesso de esforço no início da temporada . 

As dicas a seguir também devem ajudar:
Escolha o seu tênis de corrida com cuidado.

Sempre aquecer e alongar antes do exercício. Focar alongamento sobre os grupos musculares da panturrilha isquiotibiais e quadríceps.

Aumentar a distância e velocidade gradualmente, não mais que 10% por semana.
Fonte:emaxilab.com







.

terça-feira, 23 de abril de 2013

COMO ADQUIRIR UMA POSTURA CORRETA?

Foto


Manter a postura corporal correta é importante para evitar a dor nas costas ao final do dia e diversas lesões principalmente na coluna ao longo da vida. Confira 5 dicas para você alcançar a postura corporal correta:
  • Fique na postura correta pelo menos 10 vezes ao dia, por pelo menos 30 segundos de cada vez;
  • Tenha consciência do próprio corpo sempre que notar que está numa má postura, corrija-se;
  • Adapte sua casa e seu local de trabalho de modo que a postura fique sempre correta. Por exemplo: Ajuste a altura da cadeira, da mesa de trabalho, coloque o computador bem na sua frente e na cozinha, deixe tudo aquilo de precisa perto de si.
  • Corrija sua postura nos movimentos mais difíeis do dia a dia para diminuir a pressão sobre suas vértebras e assim poupar a coluna;
  • Ao andar, dirija seu olhar sempre para frente, mantendo o queixo paralelo ao chão e incline muito ligeriamente seu quadril para frente. Deste modo melhorar a postura ao andar será quase imediato.
Ao seguir estas simples recomendações aos poucos você irá alcançando e permanecendo na postura correta por mais tempo, diminuindo as chances de desenvolver uma série de alterações e de compensações em todo o corpo.









.

domingo, 21 de abril de 2013

FAMOSOS QUE FAZEM PILATES: THAÍSSA CARVALHO TAMBÉM PRATICA PILATES # nº207




Cada dia o método Pilates ganha mais popularidade 
e os famosos têm ajudado bastante nesta divulgação.




A morena Thaíssa Carvalho, no ar na novela “Flor do Caribe”, da Globo, quase sempre aparece em cena fardada. Ela faz o papel de uma piloto de avião, em um meio muito mais comum para os homens. 

Para compor a personagem, bem antes de a novela entrar no ar, a atriz viu que teria que fortalecer o corpo para aguentar o uniforme, que pesa dez quilos, 

“Ao repetir muitas vezes as cenas em Natal para várias tomadas, percebi que precisaria de um trabalho de força até para manter uma postura legal em cena.

Estou fazendo exercícios de Pilatesyoga e uma aula chamada suspension core, que trabalha força”, contou Thaíssa.


Viu só? O Pilates é perfeito para desenvolver e fortalecer toda a musculatura, interna e externa. 
Fonte: extra.globo.com/










.

QUAL O BENEFÍCIO DAS MEIAS DE COMPRESSÃO?


A moda é relativamente recente, e vem crescendo ultimamente, a ponto de se tornar comum.  Corredores vem utilisando meias de compressão.


Trago a opinião de um especialista, o doutor Kasuo Miyake, médico e cirurgião vascular que me foi apresentado pela professora Simone Lotito, pós-graduada em Fisiologia do Esporte. Reproduzo abaixo parte do bate-papo que tivemos, em que ele nos ajuda a entender como fazer o uso correto desse tipo de material.

O senhor costuma dizer que temos mais de um coração. O que isso significa? 
Temos cinco “corações”, dois nas panturrilhas e dois nos antebraços, além do conjunto de músculos e ossos da caixa torácica e abdômem. Chamo esses grupos de “corações” porque eles também ajudam o sangue a circular pelo corpo. Podem evitar trombose em situações onde somos forçados a ficarmos parados, como em voos longos, por exemplo. Por isso é muito importante manter esses músculos em bom estado de saúde e usá-los durante o dia.

O senhor me submeteu a um ultrassom das pernas e constatou uma anormalidade no retorno venoso, ainda que assintomático. Qualquer pessoa deveria ser examinada?
Entre 20% e 30% dos pacientes assintomáticos tem a safena anormal. Não é raro achar uma pessoa magra, ativa, que não sente qualquer dor nem apresenta edemas, mas que apresenta insuficiência de safenas. Eu acredito que todas as pessoas deveriam fazer a ultrassonografia de perna, porque ela nos ajuda a saber que temos de movimentar mais as pernas e evitar situações em que as deixamos paradas por longos períodos. Isso não quer dizer, claro, que todos os que apresentam essa anormalidade devem ser submetidos a cirurgias. A existência de sintomas continua sendo determinante na decisão sobre uma intervenção.

Como essa insuficiência de safena pode afetar um atleta? 
Ela pode causar perda de performance, recuperação mais lenta após o exercício, cicatrização mais lenta de microlesões, etc.

O que o senhor acha dessa moda do uso de meias elásticas entre os corredores
A meia pode ajudar, mas é preciso adotar alguns cuidados para comprar o modelo correto. Se for usada de forma errada, a meia, pode fazer mais mal do que bem.

Como escolher a meia ideal? 
A meia ideal deve comprimir de 15 a 20 mmHg na região dos tornozelos e dos pés. Na metade da panturrilha, ela deve comprimir 70% disso e, na extremidade superior, apenas 20% disso. Se a meia ficar frouxa no tornozelo e muito esticada na panturrilha ou no joelho, acaba tendo gradiente de pressão invertido e piora o retorno venoso e linfático. Além dessa questão da compressão, é importante que a meia seja leve, com alta taxa de respiração, e que seja feita em material de boa qualidade, que mantenha as características de compressão após o uso. Se ela ficar deformada depois do uso, deve ser descartada.
Por Renato Dutra








.

sábado, 20 de abril de 2013

PILATES E ESCOLIOSE



Existem muitas verdades e muitos mitos sobre a questão Pilates x escoliose. O Pilates como recurso terapêutico do portador de escoliose é sim viável e traz grandes benefícios. Porém, deve-se respeitar a real causa e grau dos desvios posturais para saber se há ou não indicação deste método para cada paciente.


Escoliose é o desvio da coluna vertebral que pode se manifestar com sintomas ainda na infância, adolescência ou somente na fase adulta. As causas são variadas e evoluem em diversos graus de lateralização e rotação vertebral.



O portador pode até não se queixar de sintomas e apenas perceber alteração na sua postura, mas é muito comum referir dores localizadas ou acompanhadas de outros sintomas associados como dormências, queimação, marcha alterada, que podem sim evoluir para sintomas mais intensos e mais difíceis de serem tratados. Como por exemplo as grandes rotações vertebrais, que levam às insuficiências respiratórias e são causa imediata de cirurgia corretora como único meio de amenizar os sintomas.


O Pilates tem a capacidade de oferecer fortalecimento, alongamento e equilíbrio corporal, proporcionamdo melhor alinhamento vertebral, reduzindo as tensões musculares e compressões discais devido a maior flexibilidade adquirida pelo corpo.


A restrição que se faz a prática do Pilates como método de reabilitação para escoliose baseia-se no grau da lesão, na intensidade dos sintomas, nos fatores adicionais a esta lesão (como osteoporose, por exemplo) e na capacidade de execução dos exercícios pelo paciente. Não deve haver sobrecarga ou dor, que passa a ser o mediadora e limitadora de cada execução.
exercise for scoliosis book


O paciente não pode sentir mais dor após a aula. O objetivo é trazer-lhe conforto! Portanto o ideal é fazer uma avaliação com especialista (ortopedista e fisioterapeuta), exames adicionais de imagem, como uma ressonância nuclear magnética ou radiografia.


Uma aula sem compromisso é sempre um bom meio de avaliar o paciente na execução dos movimentos. A Biomecânica é sempre um meio interesssante de avaliação. Se ao final desta primeira aula ele se sente bem, está apto a continuar no programa, respeitando sempre os limites, principalmente dolorosos, deste indivíduo. Os benefícios adquiridos com o Pilates sem dúvida serão muito gratificantes.
Fonte: http://diriodacarol.blogspot.com/2009/03/escoliose-x-pilates.html








.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

FAMOSOS QUE FAZEM PILATES: FERNANDA TAVARES TAMBÉM PRATICA PILATES # nº138

Cada dia o método Pilates ganha mais popularidade 
e os famosos têm ajudado bastante nesta divulgação.





"Antigamente eu ficava a semana toda fechando a boca, e no fim de semana liberava, mas sem exageros. Hoje não tenho esse tipo de preocupação", contou a top, que para manter a boa forma pratica pilates e faz drenagem linfática.

Sobre o marido, o ator Murilo Rosa, ela é só elogios. "Ele é muito atencioso e carinhoso. Na verdade, é um babão". 
Fonte:contigo.abril.com.br







.

sábado, 13 de abril de 2013

QUEM É PHILIPPE SOUCHARD?


 Philippe Souchard


Criador do método de Reeducação Postural Global (RPG) em 1980 e do Stretching Global Ativo (SGA) em 1990. 

Graduado em Fisioterapia pela École de Kinesithérapie do Hôpital des Enfants Malades, de Paris, 

Souchard é Presidente da UIPTM - Université Internationale Permanente de Thérapie Manuelle, que porta desde 1996 o selo de qualidade da Federação Francesa de Cinesioterapeutas Reeducadores.




Autor de 18 livros, traduzido para diversos idiomas, ele e sua equipe ministram cursos de RPG na França, Bélgica, Suíça, Itália, Espanha, Portugal, Canadá, Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela, Chile, Peru, Colômbia e México. 

É também professor na Universidade Católica do Parnasse-Deux Alice, em Bruxelas, na Bélgica e na Universidade de Roma Tor Vergata, em Roma, na Itália.



                                      VEJA TAMBÉM

sexta-feira, 12 de abril de 2013

SACROILEÍTE E PILATES



Sacroileíte


A sacroileíte é uma inflamação na articulação do sacral. Local de união entre a pelve e o sacro, que é a região final da coluna. Esta inflamação provoca dor e desconforto ao realizar movimentos e mesmo parado, ou sentado. Ela pode, inicialmente, atingir somente um lado e, com o passar do tempo, afetar os dois lados.





Sintomas da sacroileíte

As articulações mais afetadas são a do sacro. Após algum tempo o indivíduo começa a sentir dores na coluna e, posteriormente, os joelhos e ombros são também afetados.

Em alguns pacientes, além do comprometimento articular, podem surgir dores em certos pontos musculares, nos ligamentos e nos tendões próximos às áreas afetadas.






Como diagnosticar a sacroileíte

O raio x e a tomografia computadorizada da pelve são os exames de diagnóstico que conseguem mostrar precocemente alterações na pelve e no sacro, sugerindo a doença.





Como tratar a sacroileíte

O tratamento da sacroileíte é feito com o uso de antiinflamatórios e analgésicos, porém, o mais importante é tratar as causas e não apenas os sintomas, por essa razão é imprescindível que o paciente busque tratamento com um fisioterapeuta especializado que tenha como objetivo devolver a função normal a essa articulação, e equilibrar os músculos que possam estar causando ou fixando a lesão.

Sacroiliac Dysfunction & Pilates

O PILATES tem integrado ativamente as equipes multidisciplinares a fim de tratar a patologia, já que trata-se de um bom método na recuperação, dentre outras patologias, das relacionadas à coluna. 

Os alunos que praticam Pilates apresentam boa resposta à diminuição das dores e dos espasmos musculares, evidenciam um excelente fortalecimento/equilíbrio muscular e condicionamento postural. 

Os sintomas geralmente tem sido estabilizados, muitas vezes evitando um tratamento cirurgico.
Fonte: Coluna sem dor |

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A DOENÇA DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA: SACROILEÍTE


Inflamação nas articulações que ficam na base da coluna com o quadril fez ministro abandonar futebol, um de seus hobbies prediletos

Foi preciso tentar uma posição diferente, depois uma cadeira especial, uma almofada térmica para aquecer e relaxar os músculos e, por fim, e sem solução, ficar em pé. 

A inquietude apresentada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa tem por trás dores quase insuportáveis causadas por uma doença da qual pouco se fala: a sacroileíte.

A doença que atrapalhou o ministro durante o julgamento do mensalão e o fez sustentar boa parte de seus votos de pé — enquanto os outros magistrados o fazem sentados — ocorre por causa de uma inflamação das articulações sacroilíacas, ou seja, aquelas que conectam a parte inferior da coluna com a pélvis (quadril). 

Quem sofre da Patologia, explica o ortopedista Dr. Luiz Eduardo Munhoz da Rocha, presidente do Comitê de patologia da Coluna Vertebral, pode sofrer até mesmo com pequenos movimentos que se mostram desconfortáveis e dolorosos.

— Na doença, que pode ter causa inflamatória de origem imunológica, o organismo vai produzindo um anticorpo contra a cartilagem de uma determinada junta.

A sacroileíte pode ter também outras causas como reumatismo, trauma, artrite, sobrecargas na coluna vertebral ou mesmo processos infecciosos. O especialista acrescentou à lista ainda problemas de ordem congênita, como a alteração de partes do código genético que podem propiciar o desenvolvimento.  

Sacroileíte


Incidência
A doença atinge mais homens do que mulheres e tem mais chances de ocorrer conforme a idade avança. Os pacientes chegam ao diagnóstico porque, em geral, sentem muita dor na lombar, que pode se estender para coxa e panturrilhas, além da sensação de rigidez na coluna.

O mal que fez o ministro do Supremo abandonar o futebol, um de seus hobbies favoritos, é tratado em diversas frentes. Além da indicação para a prática de esportes de baixo impacto (como natação e hidroginástica) e fisioterapia, recorre-se também ao uso de medicamentos, como analgésicos e anti-inflamatórios.

A cura depende de cada caso, explicou o especialista. Em alguns, a doença pode ser tratada com medicações que podem mudar o curso natural e levar a um nível de remissão, que é quando a doença regride completamente a ponto de ficar sem sintomas. 
Fonte: http://noticias.r7.com








.

O QUE É SÍNDROME DO PIRIFORME?




O músculo piriforme é um músculo pequeno e estreito localizado na região profunda do glúteo, e permite a rotação externa da coxa.

O nervo ciático, que sai da coluna, passa dentro deste músculo ou abaixo dele. Se manifesta com uma dor na região glútea, devido a uma irritação causada no nervo ciático, decorrente do aumento de tensão ou espasmo do músculo piriforme, pode vir acompanhada de irradiação para a coxa, com os mesmos sintomas causados por uma hérnia de disco lombar, daí a importância de uma correta avaliação.


Suas causas prováveis: má postura, desequilíbrios musculares, diferença de comprimento do membro, encurtamento muscular, escoliose, excesso de peso, excesso de atividade física. 

Se você tiver algum sintoma, faça uma Avaliação Postural, não deixe que as compensações aumentem, sempre iremos procurar a posição mais confortável possível para não sentir a dor, e isso pode acarretar um desequilíbrio maior na estrutura.





VEJA TAMBÉM MATÉRIA PUBLICADA
EM 6 JAN 2010
A AVALIAÇÃO POSTURAL





.