sábado, 9 de outubro de 2010

DOR NA REGIÃO DA VIRILHA? PODE SER PUBALGIA



A PUBALGIA PODE TORNAR-SE  CRÔNICA 
SE NÃO FOR TRATADA ADEQUADAMENTE

Começa com uma dor na região da virilha, nas coxas, às vezes fraca e não muito bem definida. Com o tempo, se não tratada, pode se tornar uma doença crônica. 

Por causa dessa característica, a pubalgia – uma inflamação na região do púbis – muitas vezes não é diagnosticada nem comentada. Mas a dor provocada pela doença restringe movimentos.

No início, ela pode ser confundida com uma simples dor muscular. Depois, pode ainda ocorrer o diagnóstico de hérnia inguinal (hérnias que ocorrem na região da virilha), infecção urinária e fratura. Isso acontece porque quando a lesão é leve não há grandes alterações visíveis em um exame de raio X. 

Em qualquer um dos casos, quanto antes o problema for detectado, melhor e mais rápida deverá ser a recuperação do paciente.

Em mais de 90% dos casos, o tratamento é clínico.
Quando se trata de uma situação de mais gravidade, porém, pode ser necessário fazer uma cirurgia para correção da inflamação. 

A pubalgia pode ocorrer, por exemplo, em mulheres grávidas, mas é mais frequente em homens e, especialmente, em atletas. Isso porque eles são submetidos a uma carga de treinamento e a um excesso de impacto na região.

Os sintomas :




  • Dor na região púbica, principalmente ao levantar, sentar e ao tossir









  • Aumento da dor com apoio unipodal e exercícios de alta intensidade (corrida)









  • Sensação de ardor na região da virilha










  • Crepitação na sínfise púbica










  • Espasmos de adutor









  • Diminuição da amplitude de movimento do quadril









  • Possível dor lombar










  • Marcha Anserina (marcha com rotação lateral dos membros inferiores)










  • No futebol, dor no primeiro passe ou chute








  • Os sintomas da pubalgia são na maioria das vezes causados pelo desequilíbrio muscular entre os músculos abdominais e adutores. A ação dos abdominais leva a uma elevação pélvica e os adutores acabam por tracionar, afastando a sínfise púbica, levando então a um stress ligamentar e inflamação local.




  • Outro grupo muscular que interfere neste desequilíbrio biomecânico são os posteriores da coxa (isquiotibiais). Quando estes estão encurtados ocorre uma tração lombar, potencializando o desequilíbrio de abdominais de adutores, principalmente no movimento de chute do futebol.










  • Tratamento - O tratamento inicial é sempre conservador. Repouso completo, administração de antiinflamatórios e aplicação de compressa de gelo por quinze minutos no local, para aliviar a dor. Pode-se alongar levemente os músculos abdominais, adutores e isquiotibiais (nos casos de término da dor, alongar normalmente).

    A fisioterapia tem papel fundamental no re-equilíbrio muscular e no retorno as atividades desportivas. O tratamento cirúrgico só é utilizado caso o tratamento conservador falhe.









  • VEJA MATÉRIA PUBLICADA NESTE BLOG EM
    12 AGO 2010
    KAKÁ E O TRATAMENTO DA PUBALGIA






    5 comentários:

    1. Boa noite,
      Há algum tempo tenho esta dor com todos estes sintomas, mas, infelizmente , ninguém me deu um prognóstico.
      Esta dor esta limitando minha vida.
      Esta bem difícil até fazer as tarefas mais comuns do dia dia.
      Boa noite.

      ResponderExcluir
    2. pow, essas informações me foram muito uteis, pois, venho passando por estes sintomas. agora vou procurar o tratamento mais adequado o quanto antes.....

      ResponderExcluir
    3. Jogo bola todos os finais de semana e já tem algum tempo, que sinto esta dor, faço sempre alongamento , mesmo assim as vezes não consigo jogar bola o tempo todo.

      ResponderExcluir
    4. Eu e minha esposa, estamos nos recuperando de uma semana de resfriado ou gripe. O corpo está meio debilitado, acho que me esforcei muito, mas a dois dias atrás, depois de ter uma relação com minha esposa, na posição de "ladinho", hehe. Quando estava em pé e já conversando, senti uma dor repentina na parte superior e frontal da coxa, quase na virilha, que tive que sustentar rapidamente o corpo com a perna esquerda por alguns instantes. Não achei que fosse nada, mas isso aconteceu no mesmo dia apos umas 4 horas. E no dia seguinte quando estava em pé sem fazer grandes esforços. Muito estranho isso, parece que rompeu algum ligamento, mas não está doendo quase nada agora. Passei gelo no local por 15 minutos, e estou tomando um anti-inflamatório. Deve ser a danada da velhice chegando, hehe 44 anos.

      ResponderExcluir
    5. Pessoal qq dorzinha q vc vier a sentir na região da virilha (normalmente quem joga bola) já é uma lesão grave pq a inflamação é muito interna e ela surge do nada. Joguei bola num sábado e senti a dor, continuei jogando (pq normalmente dá), fiquei 3 dias sem conseguir levantar a perna direito e tomei anti-inflamatório, no outro sábado tentei jogar e doeu o tempo todo e piorou a lesão. Fiquei 1 mês parado de tudo, fui num ortopedista que passou 20 sessões de fisio e um anti-inflamatório forte. Fiz ressonância e deu: inflamação crônica do tendão, do músculo adutor e do osso do púbis. Foram mais de 3 meses sem nem correr, mas parece que deu certo, já tem 1 mês que voltei a jogar bola normal, apesar da virilha estalar direto agora (mas sem dor). Meu conselho como leigo é não forcem pq a lesão é muito interna e demora a desinflamar

      ResponderExcluir