segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O QUE É LESÃO DE LABRUM DO QUADRIL?






As lesões labrais do quadril se tornaram muito freqüentes nos últimos anos. Porém, o sucesso do tratamento ainda é bastante controverso.

O labrum acetabular é uma estrutura fibrocartilaginosa que reveste o acetábulo, parte interna do quadril onde o fêmur se encaixa. O labrum tem várias funções importantes na articulação do quadril, como manter a pressão intra-articular e ajudar na distribuição do líquido sinivial. Por esse motivo, ele é descrito por muitos autores como o menisco do quadril.

O labrum é uma espécie de moldura que reveste as bordas da cavidade acetabular da bacia e a mantém firmemente articulada à cabeça femoral. 




Além disso ele, juntamente com a cápsula e os ligamentos que a envolvem, fecham hermeticamente a articulação, permitindo que o fluido sinovial circule em seu interior e a lubrifique. 

Quando há lesão do labrum por traumatismos agudos ou repetitivos, ocorre o extravasamento do líquido com inflamação e liberação de substâncias químicas que irão causar danos à cartilagem articular. 

A estrutura fibrocartilaginosa do labrum serve de amortecedor para o impacto a que o quadril é submetido durante as atividades físicas e desportivas. Por circundar toda a articulação na parte superior e unindo-se ao ligamento transverso na parte inferior, o labrum é um componente de suma importância, juntamente com o ligamento ílio-femoral anterior, a cápsula articular e as demais estruturas estabilizadoras .

As alterações anatômicas do fêmur, do acetábulo ou de ambos podem levar à lesão do labrum, por mudar a relação normal entre a articulação e causar o impacto do fêmur contra o acetábulo durante os movimentos normais do quadril, 

Os movimentos que favorecem esta lesão são os movimentos de  flexão e rotação interna, ocasionando não somente a lesão labral mas também a lesão da cartilagem acetabular, sendo este um fator predisponente desencadeador da artrose do quadril.

Aqueles atletas que apresentam uma lesão do labrum acetabular podem apresentar dor na região inguinal e nádegas. A maior incidência desse tipo de lesão é a população praticante de atividade física, amadores ou profissionais, qualquer indivíduo pode apresentar esse tipo de lesão.

O tratamento pode ser realizado de maneira conservadora ou cirúrgica. O tratamento conservador consiste basicamente em fisioterapia por meio de equilíbrio muscular entre os músculos do quadril com ênfase em adutores e abdutores, porém o fortalecimento desses músculos deve ser orientado por um fisioterapeuta, já que um exercício feito sem orientação pode levar a maior atrito na região e piora do quadro.

O tratamento cirúrgico é realizado por meio de artroscopia e visa corrigir a lesão do labrum e também a deformidade causadora da lesão, esse tipo de tratamento é adotado geralmente na falha do tratamento conservador.




20 comentários:

  1. Não poderia ocorrer, tal lesão, por desalinhamento do quadril, já que é consequencia de movimento violento ou choque?

    ResponderExcluir
  2. Sim é possível a lesão ocorrer por desalinhamento do quadril.
    As alterações anatômicas do fêmur, do acetábulo ou de ambos podem levar à lesão do labrum, por mudar a relação normal entre a articulação e causar o impacto do fêmur contra o acetábulo durante os movimentos normais do quadril,

    Os movimentos que favorecem esta lesão são os movimentos de flexão e rotação interna, ocasionando não somente a lesão labral mas também a lesão da cartilagem acetabular, sendo este um fator predisponente desencadeador da artrose do quadril.

    Atenciosamente

    Roberto Quintana e equipe

    ResponderExcluir
  3. o exercício conhecido como elíptico (máquina) é contraindicado em caso de lesão labral discreta?

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, o exercício do método Pilates, chamado leg circle, é prejudicial para quem tem lesão labral?

    Att

    ResponderExcluir
  5. Viviane
    viviane
    O " leg circle " é um exercício que mobliza bastante o quadril e todos os componentes articulares envolvidos, portanto deve ser realizado com bastante cautela.

    O tratamento conservador consiste basicamente em fisioterapia através de equilibrio muscular entre os músculos do quadril com ênfase nos músculos adutores e abdutores, porém o fortalecimento desses músculos deve ser orientado por um profissional, já que um exercício feito sem orientação pode levar a maior atrito na região e piora do quadro.

    Atenciosamente
    robeerto quintana e equipe

    ResponderExcluir
  6. Juliana
    Boa noite,estou com lesão no labrum há 3 meses.Fiz vários tratamentos com com diversos medicamentos, sem sucesso.
    Gostaria de saber se a cirurgia na maioria dos casos é simples ou se contém riscos,e como é o pós-operatório.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde,
    sou portador da lesão tipo CAM e o ortopedista me disse que terá de ser feita uma dissecação óssea para corrigir a deformidade. Não cheguei a consultar nenhum fisio. O que me sugere? Devo consultar antes um fisio ou a solução é mesmo cirúrgica (artro).
    Obrigado.
    arlindoes@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Arlindo
    Estudos mostram que a lesão do labrum é apenas o topo do iceberg, alterações em outras estruturas também são encontradas, apresentando várias outras lesões.

    Alterações comuns podem ser vistas no raio-x, como a lesão tipo CAM, aumento da cabeça femoral para a região do colo, e tipo Pincer, aumento da borda acetabular, ambos ocorrem como tentativas de aumentar a superfície de contato diminuindo a sobrecarga.

    Uma vez diagnosticada a lesão do labrum, a cirurgia está indicada para aqueles pacientes que estão com dor e necessitam retornar as atividades esportivas ou profissionais.

    Uma lesão aguda pode ser tratada sem operar desde que seguida de repouso, uso de muleta e observação por 6 meses. Ao final desse período, se ainda houver dor poderá ser indicada uma cirurgia artroscópica do quadril.

    A cirurgia artroscópica,vem permitindo o tratamento de muitas lesões do quadril sem a necessidade de grandes incisões ou cirurgias demoradas, mas por ser uma técnica recente, requer além de um instrumental especializado um cirurgião experiente em problemas do quadril.

    A retroversão acetabular e a síndrome do tipo Píncer ou Cam,
    quando diagnosticadas em pessoas que praticam atividades de impacto, também tem indicação cirúrgica.

    É feito uma remoção cirúrgica das deformidades que provocam o impacto. Esta retirada pode ser feita por artroscopia ou por cirurgia aberta, dependendo do tipo e da localização da lesão.

    Para aqueles pacientes que já apresentam comprometimento na cartilagem da cabeça femoral e do acetábulo, podem se beneficiar com colocação de próteses, que poderá trazer novamente a condição anterior.

    Atenciosamente
    Roberto Quintana e equipe

    ResponderExcluir
  9. Bom dia,
    Tenho lesão de labrum do tipo CAM. Qual seria o exercício físico mais indicado (aeróbico ou não). Estava fazendo musculação mas entrei em quadro agudo de inflamação e precisei parar. Pretendo retomar as atividades assim que a inflamação regredir.
    Obrigada
    Leticia

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Dr. Roberto Quintana e equipe.
    Primeiramente agradeço à vocês pela atenção e ajuda dispensada à todos que aqui se manifestam.
    Com relação ao tratamento da lesão de labrum por artroscopia, por ser uma técnica relativamente recente, gostaria de saber seus reais riscos. Fui indicado à fazê-la, porém, ao consultar um segundo médico, (ambos em Brasília, onde moro) fui orientado à evitá-la, pois, segundo ele, há grandes riscos de complicaçâo. Confesso que estou com muito medo de realizar tal cirurgia. Outro esclarecimento que peço é: andar de bicicleta pode agravar a lesão? Muitíssimo obrigado. Luciano.

    ResponderExcluir
  11. boa noite! Fiz uma artroscopia de quadril, grau 04 , porém, sem colocação de próteses; gostaria de saber em quanto tempo poderei andar de bicicleta, pois estou com viagem marcada, que será de 01 semana, andando de 20 a 35 km por dia de bicicleta, após 05 meses da cirurgia, será possível? Muito obrigada, CONSUELO

    ResponderExcluir
  12. Bom dia
    Faço muita atividade fisica, spinning, corrida, musculação, pilate e yoga. Nos ultinos meses uma dor na aticulação coxaquadril me tirou de tudo depois de varios exames o ultimo sendo uma RMI com contraste deu:
    Tendinopatia com peritendinite do gluteo minimo
    Rotura do labro acetabular
    Sera que poderei voltar a praticar minhas atividades fisicas em particular o yoga?
    Meu nome e Gleide e tenho 46 anos.

    ResponderExcluir
  13. Gleide, se o caso for cirúrgico, após a cirurgia , o paciente deve ficar durante algum tempo utilizando-se de muletas variando de acordo com o procedimento realizado.

    Imediatamente deve também ser iniciada a reabilitação, baseada em protocolo específico que pode variar de cirurgião para cirurgião. O retorno às atividades normais e ao esporte depende de cada caso , porem está diminuindo graças as novas técnicas utilizadas.

    Atenciosamente
    Roberto Quintana e equipe

    ResponderExcluir
  14. Olá dr. Roberto fiz uma RM onde apareceu uma fissura no Labrum acetabular sinto dor na região do gluteo principalmente quando fico sentado por muito tempo.Sou corredor de rua e parei quando vi a gravidade do problema.Quais minhas chances de cura só fazendo tratamento convencional.

    ResponderExcluir
  15. Para esclarecer maores dúvidas sobre tal problema sugiro leitura de matéria postada em 28 jan 2013:

    LESÃO NO LABRUM DO QUADRIL PODE SER CONTROLADA;

    http://fisioterapiaquintana.blogspot.com.br/2013/01/lesao-no-labrum-do-quadril-pode-ser.html


    Atenciosamente
    Roberto Quintana e equipe

    ResponderExcluir
  16. Boa noite. tenho uma dor no quadril há 1 ano já fiz fisioterapia mas não adiantou,a dor em comoda muito tem dias que eu arrasto as pernas ( a dor circula a parte da minha coxa e virilha )

    ResponderExcluir
  17. Boa Tarde,
    Inicialmente agradeço o canal aberto para sanar as dúvidas, de nós, leigos.
    Bom, após raio x, ficou detectado que não possuo a curvatura do femur, antes de se formar a cabeça do femur, que faz o encaixe com a bacia.
    Fora a cirurgia, é possível voltar as atividades normais com fisio?

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Já Fiz 2 cirurgias no quadril e tem menos de dois anos.Ainda não coloquei prótese.Primeira cirurgia fiz fisioterapia e hidroterapia e não adiantou em nada. Hoje tenho medo de ficar muito em pé, sentada ou fazer algum tipo de exercício.As vezes sinto dores no bumbum e câimbra na perna operada, é normal?? isso ocorre por falta de circulação? Fico com medo de voltar as dores fortes.Quem faz cirurgias no quadril nunca terá o quadril como antes??? Qual o melhor exercício?

    ResponderExcluir
  19. olá! Boa noite!
    Operei o lado direito e esquerdo do meu quadril em outubro de 2012.
    Fiz a videoartroscopia pois tinha impacto tipo pincer.
    No entanto, estou a uns 5 meses com uma dor muito chata, na região da minha crista ilíaca esquerda. Bem na lateral do lado esquerdo do quadril.
    Como operei os dois lados e somente o esquerdo incomoda, suponho que não tenha uma relação direta com a cirurgia né?
    A dor aumenta bastante, tipo fisgada, principalmente se fico ou muito tempo sentado e levanto, ou muito tempo em pé.
    O que poderia ser isso? E como tratar?

    ResponderExcluir
  20. Boa noite Dr. Estou com uma lesão labral e meu médico indicou fazer hidrobike. O senhor concorda?

    ResponderExcluir